Com apenas 11 anos de idade, um menino talentoso quer provar que Stephen Hawking estava errado: “Deus existe!”

" Deus não existe ! "... Foi o que disse o famoso astrofísico Stephen Hawkings. Essa não é a opinião de William Maillis, um menino prodígio de 11 anos, que aspira a se tornar, por sua vez, um astrofísico.

WIlliam terminou seus estudos secundários com apenas 9 anos de idade, e ele já tinha convicções muito fortes, dizendo aos repórteres então que queria "provar a todos que Deus existe". Desde o nascimento, o menino surpreendeu seus familiares com uma extraordinária vivacidade intelectual. Aos 6 meses já estava identificando números, aos 7 meses estava formulando frases completas, aos 21 meses já sabia multiplicar, ler e escrever, e aos 4 anos estava começando álgebra, língua de sinais e leitura Grego.

O psicólogo da universidade que integrou diz dele que ele é um "gênio puro". E esse gênio é cristão e está convencido da existência de Deus.

“Existem aqueles ateus que tentam dizer que não existe Deus, quando na realidade é preciso mais fé para acreditar que não existe Deus do que acreditar que não existe Deus. Existe um.”

Questionado em uma conferência universitária, ele explica que nossa visão antropomórfica de Deus limita nossa compreensão de sua natureza.

“O universo existe em Deus porque Deus está fora do universo e do espaço. De que outra forma ele teria criado o universo? Às vezes tentamos implementar leis universais, nossa lógica e nossa razão ... Somos imperfeitos e tentamos modelar isso em Deus ... ”

As leis que governam o universo não têm efeito sobre Deus, e tentar conhecê-lo melhor por meio delas é uma tentativa inútil.

“As leis universais não se aplicam a ele, e tentar modelar nossas leis universais em Deus é como tentar fazer Deus à nossa imagem e semelhança, que é egocêntrico e redutor.”

Compartilhe este vídeo no Facebook

HL

© Info Chrétienne - Reprodução parcial autorizada seguida de um link "Leia mais" para esta página.

APOIE A INFORMAÇÃO CRISTÃ

Info Chrétienne por ser um serviço de imprensa online reconhecido pelo Ministério da Cultura, a sua doação é dedutível no imposto de renda em até 66%.