Ex-soldado americano leva família cristã e casal recém-convertido para fora do Afeganistão

“Dizem no noticiário que não há soldados americanos no Afeganistão. Mas estou aqui e ajudarei enquanto for preciso. Sou um orgulhoso soldado americano. Eu fiz um juramento e nunca esquecerei esse juramento. "

Fox News compartilhou neste fim de semana o testemunho de alguém que se apresenta como um "orgulhoso soldado americano". Originário do Afeganistão, ele se estabeleceu nos Estados Unidos antes da tragédia de 11 de setembro, onde se tornou membro do Exército dos Estados Unidos. Há um mês, o soldado, que permanece anônimo por motivos de segurança, decidiu voltar para lá na esperança de tirar sua família do Afeganistão.

“Dizem no noticiário que não há soldados americanos no Afeganistão. Mas estou aqui e ajudarei enquanto for preciso. Sou um orgulhoso soldado americano. Eu fiz um juramento e nunca esquecerei esse juramento. "

O soldado até agora não conseguiu tirar sua família do Afeganistão, mas afirma ter liderado pelo menos 30 pessoas, incluindo cristãos e hazaras, que corriam risco por permanecer lá. Ele foi capaz de acompanhá-los ao Paquistão.

“É bom tirá-los de lá, salvá-los do Talibã. "

Entre as pessoas que ele conseguiu escoltar até a fronteira, ajudado por nômades afegãos, está uma família de dez cristãos, mas também um casal recém-convertido e "em perigo por causa de sua religião" em sua vizinhança.

“Todos na vizinhança sabiam disso e começaram a importuná-los. "

Depois de cruzar a fronteira, o casal não ficou no Paquistão, mas viajou para outro país. O soldado, por sua vez, foi "capturado pelo Taleban" ao retornar do resgate.

“Voltando desta área, fui agarrado pelo Talibã e eles me chicotearam nas costas. Acho que foram apenas sete vezes, mas se eles soubessem que eu acabara de ajudar uma família católica, teria sido pior. Muito pior. "

MC

© Info Chrétienne - Reprodução parcial autorizada seguida de um link "Leia mais" para esta página.

APOIE A INFORMAÇÃO CRISTÃ

Info Chrétienne por ser um serviço de imprensa online reconhecido pelo Ministério da Cultura, a sua doação é dedutível no imposto de renda em até 66%.