Tigray: 30 padres coptas foram supostamente mortos por soldados em uma igreja

O diário italiano Avvenire revela “histórias de terror da guerra” em Tigray.

LDiário italiano Futuro acaba de revelar informações fornecidas por fontes católicas "inequivocamente" sobre a situação em Tigray. Ele revela o que chama de "histórias de terror de guerra": "crimes de guerra", "massacres de civis e clérigos coptas", "estupros em massa", "assassinatos e deportações forçadas".

De acordo com essas mesmas fontes, em Irob, distrito de Tigray, 30 padres coptas que se reuniam para orar na igreja foram mortos, "Por soldados".

A mídia também noticia os "assassinatos de pessoas muito jovens na frente de seus pais", mas também o assassinato de mulheres e meninas, porque "é melhor matar as mulheres de Tigray porque amanhã darão à luz woyans", de acordo com as palavras do exército da Eritreia relatadas por Avvenire.

Escolas, hospitais, igrejas e mercados foram supostamente bombardeados, missões católicas e conventos foram saqueados.

O diário italiano relatou o testemunho de um refugiado eritreia de 28 anos, Kidane:

“No dia 20 de novembro, por volta das oito da noite, os Shabias chegaram. Nós os reconhecemos pelo uniforme. Eles atiraram em quem não conseguiu escapar, como idosos, mulheres e crianças refugiadas, matando-os e capturando muitas pessoas. Eu vi Hitsats destruídos e escapei. Ao longo do caminho, vi muitos cadáveres. "

Organização italiana Caritas levanta fundos para as vítimas deste conflito. Ela disse que "a guerra está atingindo uma área que já está entre as mais pobres da Etiópia, com um alto índice de desnutrição e escassez de serviços essenciais" e "em um momento em que o país inteiro luta há meses. Com outras crises, como a gafanhoto invasões, pandemia covid-19, insegurança alimentar em muitas regiões ”.

MC

© Info Chrétienne - Reprodução parcial autorizada seguida de um link "Leia mais" para esta página.

APOIE A INFORMAÇÃO CRISTÃ

Info Chrétienne por ser um serviço de imprensa online reconhecido pelo Ministério da Cultura, a sua doação é dedutível no imposto de renda em até 66%.