Sudão: Dois líderes da igreja presos durante estudo bíblico

A polícia sudanesa prendeu dois líderes da igreja em 14 de junho durante um estudo bíblico por “violar a ordem pública”. Eles foram libertados sob fiança no mesmo dia. 

Notícias da Estrela da Manhã relata que o Pastor Kabashi Idris da Igreja Pátria Africana e o Evangelista Yacoub Ishakh da Igreja Batista Independente foram presos em 14 de junho por policiais da cidade de Omdurman, no Sudão, durante um estudo bíblico na Igreja Batista.

Segundo Shinbago Awad, advogado dos dois cristãos, eles são acusados ​​de “violar a ordem pública” de acordo com o artigo 77 do código penal sudanês.

"Eles foram acusados ​​por um vizinho muçulmano radical que apresentou queixa contra eles na delegacia local, levando a polícia a prender os dois líderes religiosos", disse Awad.

“O muçulmano radical disse à polícia que seus filhos estavam cantando as canções cristãs e temia que eles se convertessem ao cristianismo”, continuou o advogado.

Eles foram libertados no mesmo dia sob fiança. O Morning Star News, no entanto, disse que se os dois homens forem considerados culpados, eles poderão ser sentenciados a três meses de prisão e multa. O tribunal também pode ordenar a cessação dos cultos na igreja.

O Sudão ocupa o 13º lugar no rankingÍndice Global de Perseguição aos Cristãos 2022 da ONG Portes Ouvertes. A organização indica que desde 2020, “o Islã não é mais a religião do Estado, a Sharia e o crime de apostasia foram abolidos”, tendo o presidente al-Bashir sido deposto em 2019 por um movimento popular. No entanto, desde o golpe militar ocorrido em outubro de 2021, os cristãos temiam o retorno dos aspectos mais repressivos da lei islâmica.

O número de cristãos no país é estimado em quase 2 milhões, de uma população total de 44,6 milhões.

Camille Westphal Perrier

© Info Chrétienne - Reprodução parcial autorizada seguida de um link "Leia mais" para esta página.

APOIE A INFORMAÇÃO CRISTÃ

Info Chrétienne por ser um serviço de imprensa online reconhecido pelo Ministério da Cultura, a sua doação é dedutível no imposto de renda em até 66%.