Editorial de Camille: Uma voz evangélica na ONU

Esta semana no InfoChrétienne, falamos sobre o nomeação de Gaétan Roy e Wissam Al-Saliby, que respectivamente se tornam representantes da Aliança Evangélica Mundial (WEA) nas Nações Unidas em Genebra e diretor do escritório de Genebra. Assim, eles assumem o lugar de Michael Mutzner, que ocupa esse cargo desde 2012.

Através deste escritório, a organização está posicionada de forma única para representar uma voz evangélica dentro das Nações Unidas “em assuntos de interesse da Igreja”. Também é útil lembrar que a WEA representa 600 milhões de evangélicos no mundo!

Embora seja animador saber que os evangélicos estão representados nesta esfera de influência, pergunta-se qual é o seu papel concreto?

Ontem tive a oportunidade de conhecer pessoalmente Wissam Al-Saliby e Michael Mutzner que me explicaram mais detalhadamente a natureza do seu trabalho. Um trabalho complexo, emocionante e acima de tudo extremamente importante!

Vou tentar mostrar para você.

pesquisa

O escritório da AEM dedica-se sobretudo à investigação. Para poder ajudar melhor as alianças evangélicas nacionais e apresentar solicitações relevantes à ONU, elas devem ter provas irrefutáveis ​​e sérias dos problemas que estão avançando.

Esta é uma tarefa de longo prazo que só é possível com a ajuda de alianças evangélicas locais ou organizações cristãs locais. Eles trabalham, por exemplo, com Portes Ouvertes.

Advocacia 

A segunda atividade do escritório, uma vez reunidas provas credíveis, é ir à ONU com os representantes interessados ​​para os esclarecer de forma concreta sobre a situação dos cristãos num determinado país. Podemos, por exemplo, tomar o caso da Argélia, que viu o fechamento de muitas igrejas nos últimos anos. Relatórios escritos por membros do escritório da EAJ foram integrados pelo especialista das Nações Unidas neste país.

Representar 

O papel do escritório da WEA também é, muito simplesmente, mostrar uma presença evangélica na ONU, representá-los. É também, movido por esse desejo, que Michael Mutzner criou o escritório da WEA em Genebra em 2012, quando percebeu que, ao contrário de muitas religiões, os evangélicos não estavam presentes na ONU.

Este papel de representação é um papel benevolente. O objetivo não é gritar alto e claro sobre os problemas que existem, mas também levar em consideração o que os evangélicos estão passando em seu contexto e ouvir o que as alianças locais querem, o que eles querem que seja divulgado ou não.

Índia, um exemplo concreto 

Tomemos agora um exemplo concreto com a Índia. Na Índia, há um aumento no discurso de ódio, hostilidade e violência contra minorias religiosas.

Em particular, os cristãos dalits e as minorias muçulmanas continuam a enfrentar discriminação. Para ajudá-los a fazer ouvir suas vozes, o escritório da AEM tomou a iniciativa de criar vínculos com outras minorias para dar mais força às suas palavras.

A Aliança Evangélica Mundial faz parte de uma Coalizão pelos Direitos das Minorias na Índia ao lado de várias organizações (incluindo uma muçulmana e uma hindu). Enquanto o país será examinado em novembro próximo, para a Revisão Periódica Universal (RPU) (exame a que todos os países são submetidos a cada 5 anos), esta Coligação pretende assim propor recomendações concretas, para o respeito dos direitos humanos, direitos, Estado de direito e a promoção da igualdade, liberdade e proteção dos grupos minoritários no país.

Para falantes de inglês, um webinar sobre esse assunto é organizado em 3 de outubro.

Além disso, esteja ciente de que a AEM está interessada em todos os países, e até na França... O escritório está atualmente trabalhando em estreita colaboração com o Conselho Nacional de Evangélicos da França (CNEF), em vista da próxima UPR na França.

finalmente, Eu encorajo você a orar por esta pequena equipe que trabalha duro todos os dias para dar voz às igrejas evangélicas ao redor do mundo (e que depende apenas de doações para operar!).

Como diz Luc Ferry, “os direitos humanos são o cristianismo secularizado”, então também podemos ver em seu trabalho uma forma de refletir o amor de Jesus!

Camille Westphal Perrier

© Info Chrétienne - Reprodução parcial autorizada seguida de um link "Leia mais" para esta página.

APOIE A INFORMAÇÃO CRISTÃ

Info Chrétienne por ser um serviço de imprensa online reconhecido pelo Ministério da Cultura, a sua doação é dedutível no imposto de renda em até 66%.