O editorial da semana de 21/01/2022 com Camille: Perseguição aos cristãos, tsunami nas Ilhas Tonga, oração pela unidade

A cada ano, a ONG Portes Ouvertes publica seu Índice Mundial de Perseguição aos Cristãos.

A organização publicou a edição 2022 deste Índice na quarta-feira, 19 de janeiro, no início da tarde., apresenta figuras de grande tristeza que devem nos desafiar!

Revela que entre 1 de outubro de 2020 e 30 de setembro de 2021, mais de 360 ​​milhões de cristãos foram fortemente perseguidos ou discriminados em todo o mundo, um aumento de 24% em relação ao ano anterior. Isso representa 1 em cada 7 cristãos.

O Afeganistão está no topo do ranking, com a chegada do Talibã ao poder em agosto passado, o nível de violência contra os cristãos explodiu.

A Nigéria é mais uma vez o país onde mais cristãos perderam a vida por causa de sua fé. E são 5 cristãos que foram mortos no mundo no período observado por Portes Ouvertes.

Continuamos com foco nas notícias que dizem respeito aos cristãos perseguidos. Hoje na África Ocidental, Mianmar, Paquistão e Irã.

Após o lançamento do Índice Global de Perseguição aos Cristãos de 2022, Illia Djadi, Analista Sênior da Portas Abertas sobre Liberdade de Religião e Crença na África Subsaariana, falou ao Christian Today sobre as ameaças aos cristãos na África Ocidental. Um testemunho pode ser encontrado no site InfoChrétienne.

Em Mianmar, (12º lugar no Índice de 2022), Ataque do exército birmanês a campos de refugiados matou recentemente 3 civis, incluindo uma menina de 7 anos. As vítimas citadas vieram todas da aldeia de Moso, local do “massacre de Natal” onde os corpos carbonizados de pelo menos 35 civis, todos católicos, foram encontrados em 24 de dezembro.

Mahnoor Ashraf, um cristão pentecostal de 14 anos, e outra menina de 16 anos foram vítimas de perseguição religiosa no Paquistão (classificado em 8º no Índice de Portas Abertas). Um foi sequestrado, casado à força e convertido ao Islã. A outra foi estuprada.

A organização de liberdade religiosa Middle East Concern acaba de anunciar queum pastor iraniano que foi libertado da prisão em 30 de dezembro, infelizmente, foi preso novamente para cumprir uma sentença que foi cancelada em 2014. O Irã ocupa o 9º lugar no Índice Global de Perseguição de Cristãos 2022.

Sábado, um vulcão submarino, o Hunga Tonga-Hunga Ha'apai, entrou em erupção nas Ilhas Tonga.

Do espaço, um enorme cogumelo de fumaça e cinzas, imediatamente seguido pela eclosão de uma onda, foi capturado por satélites.

Estas imagens impressionantes, divulgadas na terça-feira, 18 de janeiro, mostram a extensão dos danos e revelam faixas inteiras das ilhas Tonga cobertas de cinzas ou devastadas pelo tsunami que se seguiu à erupção. Três pessoas morreram e "várias" ficaram feridas, segundo o governo, que classificou a explosão do vulcão como um "desastre sem precedentes".

Katie Greenwood, da Federação Internacional da Cruz Vermelha, estima que "a escala da devastação pode ser imensa, especialmente para as ilhas mais isoladas".

Descubra também no site InfoChrétienne, o testemunho comovente de um morador das Ilhas Tonga que contou a uma rádio local como sobreviveu por 27 horas no mar depois de ser varrido pelo tsunami. "Era maná de Deus", diz o homem de 57 anos.

O editorial da semana termina com um encorajamento à unidade.

Estamos no coração da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos que acontece todos os anos de 18 a 25 de janeiro.

O tema deste ano centra-se em Mateus 2 versículo 2:

“Vimos sua estrela no Oriente e viemos homenageá-lo. »

É o contexto da pandemia, a crise econômica que ela causou e “o fracasso das estruturas políticas, econômicas e sociais em proteger os mais fracos e vulneráveis” que inspiraram este versículo. É um convite para que os cristãos voltem os olhos para a “luz que nos mostrará o caminho do Salvador, que sabe vencer as trevas”.

Camille Westphal Perrier

© Info Chrétienne - Reprodução parcial autorizada seguida de um link "Leia mais" para esta página.

APOIE A INFORMAÇÃO CRISTÃ

Info Chrétienne por ser um serviço de imprensa online reconhecido pelo Ministério da Cultura, a sua doação é dedutível no imposto de renda em até 66%.