Pedocriminalidade na Igreja: 216 pessoas foram vítimas de clérigos ou religiosos desde 000

A Comissão Independente sobre Abuso Sexual na Igreja (CIASE) apresentou seu relatório na terça-feira, 5 de outubro. Conclusões esmagadoras que estimam em 216 o número de vítimas menores de clérigos e religiosos desde 000. 

A Comissão Independente sobre Abuso Sexual na Igreja (CIASE) é um órgão independente e multidisciplinar criado pela Conferência dos Bispos da França (CEF) e pela Conferência dos Religiosos e Religiosos da França (Corref). Confiado a Jean-Marc Sauvé, é responsável por "lançar luz sobre o abuso sexual de menores e pessoas vulneráveis ​​na Igreja Católica desde 1950".

Esta terça-feira, 5 de outubro, o relatório final da comissão foi apresentado pelo presidente da comissão Jean-Marc Sauvé durante uma reunião que foi transmitida em várias plataformas, incluindo a página Facebook do CIASE.

O relatório Sauvé de 485 páginas com mais de 2 páginas de apêndice evoca números avassaladores. Ele revela que 500 menores foram abusados ​​por clérigos e religiosos na França entre 216 e 000. Um número que sobe para "1950 se adicionarmos agressores leigos que trabalham nas instituições da Igreja Católica", acrescenta Jean-Marc Sauve.

Uma realidade há muito ignorada pela Igreja, como sublinha o presidente da comissão ao afirmar que a Igreja Católica manifestou “até ao início dos anos 2000 uma profunda indiferença, e mesmo cruel em relação às vítimas”.

Jean-Marc Sauvé também indicou que a violência sexual é "significativamente" mais importante nos círculos religiosos do que em todos os outros círculos. Ele também lembrou que devemos "nos livrar da idéia de que a violência sexual na Igreja Católica foi completamente erradicada".

Ele declarou agora passar "o bastão para a Igreja", bem como para a "comissão independente sobre violência sexual e incesto". Ele então enviou uma mensagem de "gratidão" às vítimas, aqueles que falaram "sem as quais nada poderia ter sido feito" e aqueles a quem eles não puderam encontrar, "eles são, sem dúvida, os que mais sofrem, e é com eles que eu quer acabar ”.

O presidente do CIASE conclui seu discurso com uma mensagem de esperança e esperança.

“Nossa esperança não pode e não será destruída e a igreja pode e deve fazer o que for necessário para restaurar o que foi danificado e reconstruir o que foi quebrado. "

Para o futuro, a comissão propõe uma lista de 45 recomendações nas quais exorta a instituição católica a assumir as suas responsabilidades individual e sistemicamente e a repensar a sua organização.

O Bispo de Moulins-Beaufort, Presidente do CEF e a Irmã Véronique Margron, Presidente dos Corref, expressaram, cada um, a sua tristeza e consternação com estas conclusões.

“A vossa denúncia é dura, é severa” declarou Dom de Moulins-Beaufort, que acrescentou ter ouvido através da denúncia de Jean-Marc Sauvé e dos vários discursos, “a voz das vítimas” bem como “o seu número”. “Suas vozes nos oprimem, seu número nos oprime”.

"Sr. Presidente, podemos receber um desastre?" O que dizer, se não acima de tudo para experimentar uma dor infinita, uma vergonha carnal, uma indignação absoluta. Foi com estas palavras e com emoção que a Irmã Véronique Margron iniciou o seu discurso.

“Só alcançamos a esperança por meio da verdade. É aqui que está a minha igreja, a vida religiosa da nossa igreja, é aqui que estamos ”, concluiu.

Camille Westphal Perrier

Crédito da imagem: John_Silver / Shutterstock.com

Artigo publicado originalmente em outubro de 2021.

© Info Chrétienne - Reprodução parcial autorizada seguida de um link "Leia mais" para esta página.

APOIE A INFORMAÇÃO CRISTÃ

Info Chrétienne por ser um serviço de imprensa online reconhecido pelo Ministério da Cultura, a sua doação é dedutível no imposto de renda em até 66%.