Pastor Christian Krieger, novo presidente da Federação Protestante da França

O reverendo Christian Krieger, 58, um "homem de diálogo" e um europeu convicto, assume neste sábado a chefia da Federação Protestante da França (FPF), onde terá a tarefa de manter o vínculo em um mundo protestante muito diverso.

Eleito para último outono, o pároco tomou as rédeas desta instituição no sábado durante uma assembleia geral, sucedendo a François Clavairoly, neste cargo durante nove anos.

A FPF é considerada pelo poder público como o órgão representativo dos protestantes. Criado em 1905, logo após a lei de separação das Igrejas e do Estado, inclui hoje 28 sindicatos de Igrejas e cerca de 500 comunidades, instituições, obras e movimentos (Exército da Salvação, Cimade).

"Experiência", "escuta e diálogo", "Europa como DNA", "visão internacional do protestantismo" são as palavras que surgem com mais frequência em relação a Christian Krieger, segundo várias pessoas que trabalharam com este homem nas "múltiplas cordas ao seu arco”, questionado pela AFP.

Ele era primeiro um nativo da Alsácia, onde a Reforma penetrou muito cedo no século 1964. Nascido em XNUMX em Bas-Rhin em uma família protestante, ele confessa que encontrou sua vocação “nos anos de ensino médio”. Ele estudou teologia, primeiro em uma escola missionária na Alemanha e depois na Faculdade de Teologia Protestante em Estrasburgo.

Originário da Igreja Luterana, foi ordenado pastor em 1995 e obteve seu primeiro cargo na Igreja Reformada do Escudo, em Estrasburgo. Por 17 anos, realizou vários projetos lá: formação bíblica e teológica, criação de um coral gospel, construção de um órgão de renome mundial... Ele também assumiu a direção de uma associação para mulheres em situação precária. , Le Home Protestant, está desenvolvendo hospedagem lá, "um assunto que me toca muito", diz.

Em 2012, tornou-se presidente da Igreja Protestante Reformada da Alsácia e Lorena (Epral) e vice-presidente da União das Igrejas Protestantes da Alsácia e Lorena (UEPAL).

Secularismo, um assunto para assistir “como leite pegando fogo” 

“Tenho uma verdadeira identidade europeia”, testemunha à AFP este homem de cabelo preto, calvície, óculos finos. Presidente da Conferência das Igrejas Europeias (CEC) desde 2018, ele traz a voz dessas igrejas protestantes, ortodoxas e anglicanas para as instituições europeias.

É neste contexto que, em abril, ele pediu aos presidentes russos Vladimir Putin e ao presidente ucraniano Volodymyr Zelensky um “cessar-fogo” entre a Páscoa católica e a Páscoa ortodoxa, e pediu ao Patriarca Ortodoxo Kirill “tomar uma posição clara”. Isso será “um fracasso”, reconhece, mas “nenhuma chance deve ser deixada inexplorada”.

Dentro da FPF, Christian Krieger jogou os sapadores, quando em 2015 surgiram tensões após a decisão da Igreja Protestante Unida da França (EPUdF), principal componente da FPF, de autorizar a benção de casais do mesmo sexo. A tendência da comunhão luterano-reformada lhe é favorável, o que não acontece com o movimento evangélico, alguns dos quais querem deixar a federação.

Com a teóloga Valérie Duval-Poujol, o pároco, vice-presidente da FPF, conduzirá, portanto, uma missão de dois anos que permitirá o diálogo.

Um diálogo que continua a ser um "assunto nada fácil", admite, desejando uma "relação frutífera" com as igrejas evangélicas, algumas das quais pertencem à FPF, outras ao Conselho Nacional de Evangélicos (Cnef), em plena expansão, para outros com dupla adesão.

Na sociedade, um assunto, o secularismo, será “observado como leite no fogo”, segundo Krieger. “Persiste um debate permanente sobre sua compreensão”: a lei de 1905 é “uma lei de confinamento do religioso na esfera privada? ou é uma lei de liberdade religiosa? “, diz ele, lembrando que o protestantismo está muito ligado a este último significado.

Ele também pretende continuar a se opor à lei contra o “separatismo” adotada em 2021. A FPF considera-a discriminatória e estigmatizante em relação às religiões.

Os protestantes representam 2,5% da população na França continental e 5% nos departamentos e territórios ultramarinos, segundo o sociólogo das religiões Jean-Paul Willaime. “Quase dois milhões” de pessoas, afirma a FPF.

O Conselho Editorial (com AFP)

© Info Chrétienne - Reprodução parcial autorizada seguida de um link "Leia mais" para esta página.

APOIE A INFORMAÇÃO CRISTÃ

Info Chrétienne por ser um serviço de imprensa online reconhecido pelo Ministério da Cultura, a sua doação é dedutível no imposto de renda em até 66%.