O anúncio do restabelecimento das execuções e amputações pelo Taleban "semeou medo nos corações dos cristãos afegãos"

Em uma entrevista à Associated Press, o mulá Nooruddin Turabi anunciou a retomada das execuções e amputações do Talibã no Afeganistão.

Os corpos de quatro homens foram enforcado em Herat, no Afeganistão, pelo Talibã. Sher Ahmad Ammar, vice-governador de Herat, disse que “seus corpos foram levados para a praça principal e pendurados na cidade como uma lição para os outros sequestradores”.

Mohammad Nazir mora em Herat. Durante as compras, uma mensagem no alto-falante chamou sua atenção. “Quando me apresentei”, explica ele, “vi que trouxeram um corpo em uma van e o penduraram em um guindaste”. No corpo suspenso, lê-se "é o castigo por sequestro".

Respondendo a uma entrevista em uma agência de notícias Associated PressO mulá Nooruddin Turabi, um dos fundadores do Taleban, disse que as execuções e amputações seriam restauradas pelo Taleban, especificando que isso não seria necessariamente feito em público.

“Todo mundo nos criticou pelas punições no estádio, mas nunca falamos nada sobre as leis e punições. Ninguém vai nos dizer quais devem ser nossas leis. Seguiremos o Islã e faremos nossas leis sobre o Alcorão. "

Nooruddin Turabi prosseguiu afirmando o efeito dissuasor das amputações, “cortar as mãos é muito necessário para a segurança”.

De acordo com a Associated Press, Nooruddin Turabi foi "um dos mais ferozes e intransigentes executores do grupo" durante o regime anterior do Taleban.

Preocupação Cristã Internacional relata que "este anúncio semeou medo nos corações dos cristãos afegãos, que temem ser considerados criminosos pelo Taleban por causa de sua conversão ao cristianismo".

William Stark, diretor regional da International Christian Concern para o Sul da Ásia, conclama a comunidade internacional a “proteger e resgatar” os cristãos afegãos.

“Para os cristãos afegãos e outras comunidades marginalizadas, o regime brutal e opressor do Taleban provavelmente resultará em mais perseguições. Os cristãos afegãos são particularmente vulneráveis ​​por causa de seu passado como convertidos. De acordo com a interpretação da lei Sharia pelo Talibã, os cristãos afegãos não serão considerados uma minoria religiosa. Em vez disso, eles serão tratados como criminosos se sua identidade for descoberta. A comunidade internacional deve agir para proteger e ajudar esta comunidade vulnerável. "

MC

Crédito da imagem: Dmitriyk21 / Shutterstock.com

© Info Chrétienne - Reprodução parcial autorizada seguida de um link "Leia mais" para esta página.

APOIE A INFORMAÇÃO CRISTÃ

Info Chrétienne por ser um serviço de imprensa online reconhecido pelo Ministério da Cultura, a sua doação é dedutível no imposto de renda em até 66%.