“Nós nos sentimos responsáveis ​​uns pelos outros”: em Kiev, um padre continua sua missão no coração do conflito

A Ajuda à Igreja que Sofre (ACN) relata o testemunho do padre Andriy Bodnaruk, um greco-católico que permaneceu em Kiev. Vestindo um colete à prova de balas, ele traz conforto aos moradores, distribui embrulhos e organiza serviços litúrgicos em abrigos. 

“Nosso povo não está em pânico; ele vê uma necessidade ainda maior de servir e apoiar uns aos outros. Eu vejo sua dedicação”. O padre Andriy Bodnaruk, padre greco-católico, é um dos muitos padres apoiados pela organizaçãoAjuda à Igreja que Sofre (ACN) na Ucrânia.

O clérigo, que permaneceu em Kiev testemunha ao AED de sua vida cotidiana no coração da guerra. Refere-se, em particular, à ajuda mútua que foi estabelecida entre os habitantes.

“Muitos deles, aqueles que tinham recursos, uma casa bonita e viviam em condições confortáveis, hoje costumam usar jaquetas e calças rasgadas e acordam no frio, dia e noite, para proteger sua cidade e a dos outros. Eles são altruístas e dedicados. Eles sabem o que representam. »

“As pessoas estão unidas sobretudo pela Igreja”, sublinha o sacerdote que explica que “quando a comunidade se reúne nos abrigos para a oração, a comunidade se aproxima e nos sentimos responsáveis ​​uns pelos outros”.

Vestindo um colete à prova de balas, o padre percorre a cidade visitando famílias e soldados em postos de controle e realiza serviços litúrgicos em abrigos.

Também distribui pacotes de ajuda de emergência que pode adquirir com apoio financeiro da ACN e de outras organizações. O religioso diz-se grato por este “apoio financeiro durante este período difícil” que lhe permite comprar, entre outras coisas, “produtos necessários e medicamentos”.

“Agradeço sinceramente à Ajuda à Igreja que Sofre (ACN) por seu apoio financeiro durante este período difícil. Quero garantir que cada centavo usado em tempos de guerra é uma grande contribuição e investimento na paz mundial. Os fundos recebidos são utilizados principalmente para pagar despesas recorrentes, comprar os produtos e medicamentos necessários e pagar os custos de transporte. »

No meio da guerra e do caos, o sacerdote greco-católico espera Deus com esperança, recorda “que depois da morte veio a ressurreição”.

“Quando crucificamos Cristo e depois de seu sepultamento, também não vimos nenhuma mudança. Mas depois da tortura, depois da morte, veio a ressurreição. Esse tempo virá e veremos a ressurreição. »

De acordo com a ACN, como o padre Andriy, “centenas de sacerdotes estão atualmente fazendo trabalho pastoral e social em Kiev”.

Camille Westphal Perrier

Crédito da imagem: Shutterstock / Drop of Light

© Info Chrétienne - Reprodução parcial autorizada seguida de um link "Leia mais" para esta página.

APOIE A INFORMAÇÃO CRISTÃ

Info Chrétienne por ser um serviço de imprensa online reconhecido pelo Ministério da Cultura, a sua doação é dedutível no imposto de renda em até 66%.