No Paquistão, histórias de perseguição diária

No Paquistão, testemunhos recentes lembram a perseguição diária aos cristãos.

Na República Islâmica do Paquistão, os cristãos são uma minoria religiosa que sofre discriminação e perseguição diariamente, tanto legal quanto socialmente. Só as últimas notícias condensam as marcas dessa marginalização dos cristãos.

Em Karachi, nas últimas três semanas, três meninas foram sequestradas ser forçado a casar. Merab, 15, Mariam, 18 e Persicla, 15. Sempre o mesmo padrão de violência e ameaças, sempre o mesmo sentimento de impunidade para os agressores. "Noman (sequestrador, nota do editor) nos ameaça e diz que ninguém pode fazer nada contra ele", explica a mãe de Merab que pede aos cristãos que rezem por sua filha.

Em 16 de março, Fansan Shahid, um cristão de Lahore, foi preso pelas autoridades paquistanesas após ser acusado de fazer comentários profanos no Facebook em 2019. Notícias da Estrela da Manhã relata violência e tortura contra ele. Sua esposa, Safia Shahid, que explica que seu telefone foi perdido em 2019, testemunha a violência de sua prisão.

“Quando meu marido abriu a porta, mais de uma dúzia de policiais entraram correndo e começaram a espancá-lo. Meus dois filhos e eu gritamos e choramos enquanto eles torturavam Shahid e vasculhavam os quartos. »

Ela esclareceu que “seu falecido pai era um pastor afiliado às Assembléias do Evangelho Pleno, e Fansan tinha um bom relacionamento com seus companheiros muçulmanos, e a maioria de seus amigos também era muçulmana”.

Safia agora se preocupa com o futuro de sua família e a segurança de seus filhos.

“Não sei o que vai acontecer com a gente, porque meus filhos ainda estudam e moramos de aluguel. Não há outras famílias cristãs em nosso bairro, e não sei como nosso senhorio ou nossos vizinhos muçulmanos reagirão quando souberem da natureza da acusação contra ele. »

Sempre em Lahore, trata-se de uma igreja pentecostal que foi vítima de uma ação de profanação. Em 16 de março, um jovem muçulmano escalou a cruz de 12 metros de altura e tentou quebrá-la, sem sucesso. Ele então se sentou na cruz e gritou "Allah u Akbar".

O homem então se machucou pulando da cruz e foi entregue à polícia pelos cristãos presentes. Ele é acusado sob a Lei de Blasfêmia. Os cristãos exigem "uma investigação adequada sobre o incidente, as intenções desse agressor e as razões pelas quais ele queria danificar o local de culto cristão".

MC

Crédito da imagem: Notícias da Estrela da Manhã / Fansan Shahid, cristão perseguido em Lahore

© Info Chrétienne - Reprodução parcial autorizada seguida de um link "Leia mais" para esta página.

APOIE A INFORMAÇÃO CRISTÃ

Info Chrétienne por ser um serviço de imprensa online reconhecido pelo Ministério da Cultura, a sua doação é dedutível no imposto de renda em até 66%.