Na África Oriental, uma pessoa provavelmente morre de fome a cada 48 segundos

“As pessoas estão morrendo de fome não porque o mundo não tem comida ou dinheiro, mas por uma lamentável falta de coragem política. »

Uma pessoa provavelmente morre de fome a cada 48 segundos na Etiópia, Quênia e Somália, três países devastados pela seca. Essa estimativa vem do relatório deOxfam e Save the Children, que denuncia o custo da inação.

De acordo com essas organizações, “o mundo está mais uma vez falhando em evitar uma fome catastrófica na África Oriental”.

“Mais de uma década após a resposta tardia à fome de 2011 que matou mais de 260 pessoas na Somália, metade das quais eram crianças com menos de cinco anos, o mundo está mais uma vez falhando em evitar uma fome catastrófica na África Oriental. Hoje, quase meio milhão de pessoas em partes da Somália e da Etiópia enfrentam condições semelhantes à fome. »

O pedágio humanitário é pesado. O relatório diz que o número de pessoas que sofrem de fome extrema nos três países mais que dobrou desde o ano passado, de mais de 10 milhões para mais de 23 milhões hoje. E isso em um contexto de endividamento que mais que triplicou em menos de uma década, passando de 20,7 bilhões de dólares em 2012 para 65,3 bilhões de dólares em 2020.

Gabriela Bucher, Diretora Executiva da Oxfam International, lamenta que “apesar dos sinais de alerta piorarem ao longo do tempo, os líderes mundiais reagiram miseravelmente – tarde demais e ainda muito pouco – deixando milhões de pessoas enfrentando uma fome catastrófica. Ela afirma que "a fome é um fracasso político" e denuncia "uma lamentável falta de coragem política".

“As pessoas estão morrendo de fome não porque o mundo não tem comida ou dinheiro, mas por uma lamentável falta de coragem política. As nações ricas conseguiram, com razão, levantar mais de US$ 16 bilhões em um mês para lidar com a terrível crise na Ucrânia. Eles injetaram mais de US$ 16 trilhões em suas economias em resposta ao COVID-19 para apoiar os necessitados. Os países podem mobilizar recursos para prevenir o sofrimento humano – mas apenas se quiserem. »

A Oxfam e a Save the Children estão pedindo ao G7 e aos países ocidentais que injetem dinheiro imediatamente para responder ao apelo de US$ 4,4 bilhões da ONU para o Quênia, Etiópia e Somália, e garantirão que o financiamento seja flexível o suficiente para ser usado onde for mais necessário. Eles apelam aos governos do Quênia, Etiópia e Somália para fortalecer a proteção social para ajudar as pessoas a lidar com múltiplos choques e investir pelo menos 10% de seu orçamento na agricultura. Essas organizações também dizem que os países ricos e poluentes devem pagar a África Oriental por suas perdas e danos climáticos e devem cancelar as dívidas de 2021-2022 desses países, a fim de liberar recursos para ajudar as pessoas a mitigar e se recuperar.

MC

Crédito de imagem: Shutterstock.com / Stosun

© Info Chrétienne - Reprodução parcial autorizada seguida de um link "Leia mais" para esta página.

APOIE A INFORMAÇÃO CRISTÃ

Info Chrétienne por ser um serviço de imprensa online reconhecido pelo Ministério da Cultura, a sua doação é dedutível no imposto de renda em até 66%.