Jacques Donzé torna-se presidente da Fundação Exército da Salvação na França e na Bélgica

Coronel Jacques Donzé, que já está à frente da Congregação do Exército deu Salut desde 1º de maio, foi eleito presidente da Fundação do Exército de Salvação para a França e a Bélgica na sexta-feira, 24 de junho. 

Jacques Donzé tornou-se o novo presidente da Fundação do Exército de Salvação para França e Bélgica na sexta-feira. O Coronel, que já dirige a Congregação do Exército da Salvação, ou seja, o ramo denominacional da organização desde 1º de maio, sucede assim ao Coronel Daniel Naud.

Já assumiu a direção da associação noutros países europeus, nomeadamente em Itália e Grécia, onde foi nomeado em fevereiro de 2020, ou seja, em plena pandemia.

Para ele, a questão do sentido de sua ação é essencial. Ele acredita que “não se trata de crescer sempre a qualquer preço”. “Prefiro uma organização menor, mas significativa, em vez de um desenvolvimento total que nos afaste de nossos valores”, diz o novo presidente da Fundação, que insiste no “fundamento espiritual” do Exército da Salvação.

“Nossa base espiritual deve nos conduzir, com respeito às ideias e convicções de cada um. »

Nascido em Lausanne em 1964, Jacques Donzé tornou-se oficial do Exército da Salvação, isto é, pastor, em 1990. Com a sua esposa Claude-Evelyne Donzé, que foi nomeada sexta-feira Presidente Territorial dos Ministérios da Mulher e da Família do Exército da Salvação em França e Bélgica, serviram em várias paróquias na Suíça e na Bélgica.

Nessas igrejas, que são chamadas de “postos” dentro do Exército da Salvação, ele realizou trabalho pastoral e social antes de se tornar um líder juvenil. De acordo com um comunicado de imprensa da organização, o Coronel está "particularmente ligado à questão da educação e transmissão". Em particular, ele criou muitas atividades para crianças e adolescentes.

Camille Westphal Perrier

© Info Chrétienne - Reprodução parcial autorizada seguida de um link "Leia mais" para esta página.

APOIE A INFORMAÇÃO CRISTÃ

Info Chrétienne por ser um serviço de imprensa online reconhecido pelo Ministério da Cultura, a sua doação é dedutível no imposto de renda em até 66%.