Inspirado por sua mãe que morreu na prisão por causa de sua fé, ele planta duas igrejas na Coreia do Norte

Sua mãe permaneceu fiel a Jesus até sua morte na prisão, Chung-Ho agora está seguindo seus passos na fé na Coréia do Norte.

Aquele que será chamado de Chung-Ho por razões de segurança é um pastor na Coreia do Norte. Relatórios de Deus compartilhar seu testemunho.

Foi sua mãe cristã, presa por causa de sua fé, que o encorajou a se engajar no ministério.

“Há dois anos, soube que minha mãe havia morrido na prisão. Ela manteve sua fé sem negar a Deus até o momento de sua morte. Ela também afirmou que iria para o céu quando morresse. As pessoas que testemunharam sua morte na prisão disseram que ela não temia a morte. »

Após um período de treinamento na China, ele retornou à Coreia do Norte, onde plantou duas igrejas clandestinas.

conforme Comissão Americana para a Liberdade Religiosa (USCIRF), em 2021, “as condições para a liberdade religiosa na Coreia do Norte permaneceram entre as piores do mundo”. Na ideologia dominante do país, conhecida como Juche, vê a religião como “uma ameaça existencial”. A liberdade religiosa é, portanto, inexistente e as autoridades ativa e sistematicamente atacam e perseguem grupos religiosos. Entre os abusos sofridos por cristãos e outras minorias religiosas, a USCIRF denuncia “privação arbitrária de liberdade, tortura, violência sexual, trabalho forçado e execução”.

“A maioria dos cristãos norte-coreanos não pode se reunir para o culto coletivo devido à vigilância generalizada e à dura repressão. Possuir materiais religiosos como Bíblias é considerado extremamente arriscado e potencialmente mortal, se descoberto. Os cristãos pegos praticando sua fé enfrentam graves abusos, como prisão de longo prazo em várias prisões ou estabelecimentos semelhantes a prisões, tortura, trabalho forçado, violência sexual e execuções sumárias. »

MC

© Info Chrétienne - Reprodução parcial autorizada seguida de um link "Leia mais" para esta página.

APOIE A INFORMAÇÃO CRISTÃ

Info Chrétienne por ser um serviço de imprensa online reconhecido pelo Ministério da Cultura, a sua doação é dedutível no imposto de renda em até 66%.