Homenagem nacional às vítimas do atentado de Nice

Quinta-feira, 29 de outubro, um ataque com faca matando três pessoas ocorreu na Basílica de Nice. Nove dias após a tragédia, o primeiro-ministro Jean Castex presidiu uma homenagem nacional prestada na manhã de sábado às vítimas deste ataque. 

Ieles foram chamados Vincent Loquès, Simone Barreto e Nadine Devillers, com 55, 44 e 60 anos, respectivamente, eles sucumbiram aos ferimentos de faca na quinta-feira, 29 de outubro, no atentado perpetrado por um jovem de 21 anos, Brahim Aouissaoui.

Era sábado, na colina dos Castelos de Nice, que dezenas de pessoas, tanto familiares das vítimas como funcionários, se reuniram para uma homenagem nacional presidido por Jean Castex, o primeiro-ministro. Emmanuel Macron não tendo conseguido fazer a viagem.

No seu discurso, o Primeiro-Ministro quis prestar uma homenagem pessoal a cada uma das vítimas:

Nadine Devillers, assassinada na igreja que "vivia a poucos passos de distância". A política menciona "uma mulher que amava apaixonadamente o teatro" e "que partilhava planos para o futuro com o marido", acabava de escrever um livro secreto com a esperança de "um dia ser publicado".

Simone Barreto Silva que tinha ido à igreja para orar e que conseguiu encontrar forças para fugir apesar dos feridos para soar o alarme, permitindo a intervenção da polícia. Jean Castex elogia a “coragem” desta mãe de família de Salvador da Bahia, no Brasil, que “por força de determinação e vontade conseguiu realizar seu sonho, pois acabara de obter o diploma de forma brilhante”.

O sacristão Vincent Loquès, “pilar da Basílica de Notre-Dame”. O primeiro-ministro recorda que foi ele "quem abriu as portas todas as manhãs" e que era "a ele que se dirigiam os padres quando era necessário resolver um problema de mordomia". Insistiu também na boa índole deste homem, pedreiro de profissão, que era "conhecido e apreciado não só pelos paroquianos mas por toda a vizinhança".

Os retratos das três vítimas foram trazidos por seus familiares e expostos durante a cerimônia em cavaletes. Um momento de contemplação acompanhado das canções preferidas de duas das vítimas e da leitura de um poema. Primeiro para Nadine Devillers, “Indiferença” de Gilbert Bécaud, seguido da leitura de “Amanhã desde o amanhecer” de Victor Hugo em homenagem a Vincent Loquès. Por fim, para Simone Barreto Silva, a música “Toda menina baiana” de Gilberto Gil.

Após esta cerimônia, Jean Castex conversou com as famílias das vítimas por um hora de troca. O chefe do governo presidiu então uma segunda cerimônia para homenagear os policiais municipais da cidade de Nice.

PC

Crédito da imagem: Frederic Legrand - COMEO / Shutterstock.com

© Info Chrétienne - Reprodução parcial autorizada seguida de um link "Leia mais" para esta página.

APOIE A INFORMAÇÃO CRISTÃ

Info Chrétienne por ser um serviço de imprensa online reconhecido pelo Ministério da Cultura, a sua doação é dedutível no imposto de renda em até 66%.