Egito: garota copta encontra a liberdade após 92 dias

Marilyn, uma adolescente copta de 16 anos, foi encontrada sã e salva pela polícia a várias centenas de quilômetros de sua casa.

LA jovem foi sequestrada por extremistas islâmicos em 28 de junho. Em 30 de setembro, Marilyn finalmente encontrou sua família. Boutros Khalaf, o sacerdote de sua aldeia, expressou seu alívio com o essa situação. Ela foi encontrada pela polícia com seus agressores, a várias centenas de quilômetros de sua casa.

“Agradecemos a Deus por ter respondido às nossas orações [...] Agradecemos também a todos esses policiais que contribuíram para a libertação de nossa filha Marilyn. Saudamos seus enormes esforços ”.

De acordo com "G", um ex-sequestrador que deixou o Islã, muitas garotas coptas são sequestradas e sequestradas em diferentes partes do Egito. Eles são convertidos ao Islã e então casados ​​à força. Para os sequestradores, o sequestro de jovens coptas é um mercado de sucesso. A estratégia costuma ser a mesma: simular um romance entre o muçulmano e o jovem copta, prometer uma conversão ao cristianismo e, em seguida, organizar uma fuga. "G" explica que a jovem não entende imediatamente o que está passando.

Ele acrescenta: “Uma vez maior de idade, um representante islâmico é especialmente solicitado a oficializar sua conversão. É emitido um certificado: de fato, a identidade das meninas muda. "

Durante seu confinamento, Marilyn aparece velada com um Alcorão na mão, em um vídeo publicado na rede. Suas palavras foram ditadas por um átrio.

Hanaa Aziz Shukralla Farag, mãe de Marilyn, só pode atestar as limitações vividas por sua filha.

“Ela estava segurando o Alcorão como se estivesse segurando uma medalha. Vejo que ela está sob seu controle. "

Segundo o padre, Marilyn “não foi bem tratada”, mas agora “está feliz por ter encontrado sua família. "

O editorial

Crédito da imagem: WWM

© Info Chrétienne - Reprodução parcial autorizada seguida de um link "Leia mais" para esta página.

APOIE A INFORMAÇÃO CRISTÃ

Info Chrétienne por ser um serviço de imprensa online reconhecido pelo Ministério da Cultura, a sua doação é dedutível no imposto de renda em até 66%.