Fim da vida: A resposta dos líderes protestantes e católicos franceses

Enquanto o Presidente da República acaba de anunciar o lançamento de uma consulta cidadã sobre o fim da vida, a Federação Protestante de França quer participar no debate e recorda “os princípios estruturantes que orientam a sua reflexão ética” sobre este assunto. o Os bispos franceses se manifestam contra a eutanásia em uma coluna publicada no Le Monde. 

Na última terça-feira, o Presidente da República Emmanuel Macron anunciou o lançamento uma ampla consulta pública sobre o fim da vida com vista a um possível novo "quadro jurídico" até ao final de 2023.

Este anúncio, que surge no momento em que a Comissão Consultiva Nacional de Ética (CCNE) se declara pela primeira vez a favor da legalização da eutanásia, provocou uma reação dos representantes das religiões protestante e católica.

A Federação Protestante da França (FPF) publicou notavelmente um comunicado de imprensa em resposta ao relatório do CCNE.

Medo de “razões econômicas ou ideológicas”

Neste documento, os protestantes afirmam saudar “o incentivo do CCNE para implantar as medidas de saúde pública necessárias para o desenvolvimento dos cuidados paliativos, bem como para um melhor conhecimento e aplicação da lei Leonetti-Clayes”. Também escrevem para tomar nota “das reservas expressas por oito membros do CCNE” e compartilham “o medo” de que “o desenvolvimento legislativo proposto seja motivado principalmente por razões econômicas ou ideológicas”.

A FPF acrescenta que apoia "a perspectiva de uma convenção cidadã e um grande debate nacional" e anunciou que, em consulta com os outros chefes de religiões da França, participará do debate "de forma ativa".

Em conclusão, a FPF recorda “os quatro princípios estruturantes que orientam a sua reflexão ética sobre o fim da vida”:

  • Deus é a origem de toda a vida. Para os cristãos, a dignidade é intrínseca a cada pessoa porque foi criada à imagem de Deus; não é adquirido nem perdido.
  • A vida é um dom, uma graça. Faz parte de uma interdependência, onde todos são, ao mesmo tempo e sucessivamente, ajudados e auxiliados.
  • A finitude é um elemento estruturante da condição humana.
  • O princípio da compaixão fraternal com os mais vulneráveis.

Os bispos da França também se manifestaram sobre este assunto publicando em 16 de setembro uma Tribuna contra a eutanásia no jornal Le Monde.

“Nós ouvimos as perguntas da nossa sociedade. Somos sensíveis ao sofrimento das pessoas que estão doentes em fim de vida ou muito gravemente afetadas por patologias graves. Percebemos a angústia dos que os cercam, oprimidos por seu sofrimento, até mesmo desesperados por um sentimento de impotência. Sabemos bem que as questões do fim da vida e da aproximação da morte não podem ser abordadas de forma simplista”, escrevem na abertura.

Solidariedade e fraternidade

Este apelo é sobretudo um apelo ao desenvolvimento de unidades de cuidados paliativos. Os bispos recordam, com efeito, que durante “várias décadas se encontrou gradualmente um equilíbrio em nosso país para evitar o tratamento agressivo e promover os cuidados paliativos”. Eles também acreditam que esse cuidado “avançou a solidariedade e a fraternidade em nosso país”.

No entanto, eles observam que esse cuidado “ainda está ausente de um quarto dos departamentos franceses”, pedindo, como o CCNE, a eliminação desses “desertos paliativos”.

Os signatários deste fórum apelam ainda às autoridades para que não tratem desta questão “tão sensível e tão delicada”, “sob pressão” e que tenham em conta o resultado de uma reflexão coletiva.

“É necessário ouvir com seriedade e serenidade os cuidadores, associações de doentes, cuidadores, filósofos, as diferentes tradições religiosas para garantir as condições de um autêntico discernimento democrático. »

“As respostas que coletivamente poderemos dar condicionam a nossa capacidade de promover a autêntica fraternidade”, escrevem em conclusão, lembrando que esta só pode ser construída “numa exigência de humanidade onde cada vida humana seja respeitada, apoiada, honrada”. .

Camille Westphal Perrier

© Info Chrétienne - Reprodução parcial autorizada seguida de um link "Leia mais" para esta página.

APOIE A INFORMAÇÃO CRISTÃ

Info Chrétienne por ser um serviço de imprensa online reconhecido pelo Ministério da Cultura, a sua doação é dedutível no imposto de renda em até 66%.