EUA: estudante talentoso de 9 anos quer provar a existência de Deus

Aos 9 anos, William Maillis não é um menino comum. Ele já se formou no ensino médio e está prestes a iniciar os estudos ao lado de jovens com o dobro de sua idade. Mas esse filho de um padre ortodoxo também é cristão e pretende usar suas extraordinárias capacidades para a glória de Deus.

LOs pais de William, Peter e Nancy, rapidamente perceberam que seu filho era talentoso. Aos 6 meses ele já estava identificando os números, aos 7 meses ele estava formulando sentenças completas. Aos 21 meses, ele sabia multiplicar, ler e escrever. Aos 4 anos iniciou álgebra, língua de sinais e leitura grega, aos 5 anos de geometria e trigonometria aos 7 anos. Com 9 anos, já concluiu o ensino secundário e está a iniciar os estudos universitários com um objetivo muito específico.

Pretende estudar física e química do espaço, obter o doutoramento e tornar-se astrofísico, para trabalhar em torno de conceitos como “o deslocamento do espaço-tempo”, “singularidade” e “gravidade pura”. Mas o que é mais importante para ele é mostrar que "só uma força externa é capaz de montar o cosmos".

“Quero provar a todos que Deus existe. "

Ainda assim, ao entrar no jardim de infância, William falhou no teste, não identificando o cinza como uma cor, mas como uma sombra, ou não reconhecendo o termômetro, com seus pais usando um termômetro de ouvido.

A análise da psicóloga da universidade, especializada em crianças superdotadas, hoje é sem apelo. Para ele, William é "um gênio puro".

Peter e Nancy continuam a acompanhar o filho, ao longo de sua jornada atípica com gentileza, declarando não querer pressioná-lo, mas ajudá-lo a fazer boas escolhas. Seu pai a incentiva regularmente, dizendo a ela:

“Deus te deu um presente. O pior seria rejeitar este presente e não usá-lo para o bem do mundo. "

 
O editorial

Fonte: Yahoo News

© Info Chrétienne - Reprodução parcial autorizada seguida de um link "Leia mais" para esta página.

APOIE A INFORMAÇÃO CRISTÃ

Info Chrétienne por ser um serviço de imprensa online reconhecido pelo Ministério da Cultura, a sua doação é dedutível no imposto de renda em até 66%.