O Dr. Mukwege pede o fim do estupro e dos crimes de guerra no Fórum Positivo Global

No dia 1º de setembro de 2017, um encontro internacional, o Global Positive Forum, reuniu 1200 participantes em Paris, sob o patrocínio de Emmanuel Macron. A ideia é generosa, um pouco utópica. Acelerar a “revolução positiva” apresentada como uma oportunidade para a França, a Europa e o mundo.

UUma audiência de personalidades políticas, econômicas e civis convidadas por dois organizadores, com conhecimento em finanças e marketing: Jacques Attali e Richard Athias. Além disso, os primeiros fóruns tiveram como identificação: "Finanças positivas" ... Correção ... E comunicação do evento. Mas como definir qual é o eixo central proposto sem cair em uma generalização vaga?

“Positivo” no sentido de que amanhã pode ser melhor do que hoje. É, portanto, o presente que se dirige e o futuro na direção das novas gerações ... Dezenas de palestrantes se seguiram nesta magnífica sala futurista da Pont de Sèvres, declinando o positivo "em todas as suas formas".

Mensagem do Presidente da República Francesa lida por Bruno Lemaire:

“Pense globalmente. Pense bem longe. Pense concreto. Pense diferente. "

E ao longo da tarde, painéis dos quais aqui estão os títulos estruturantes:

  • Os desafios de acelerar a revolução positiva
  • Os benefícios do financiamento positivo
  • A proliferação de recursos positivos
  • A ousadia de ser positivo

Não faltaram ilustrações e grandes testemunhos. O prefeito de Paris para ilustrar a política ecológica e as preocupações das grandes capitais. O prefeito de São Paulo (14 milhões de habitantes) veio reforçar o argumento. Mas também o Primeiro-Ministro da Islândia, para representar o seu país campeão para 2017 do índice de “positividade das nações”. Uma espécie de classificação verde.

Muito bem, Islândia, um país de 320 habitantes com uma capital do tamanho de Saint Dié des Vosges… 000 vezes menor que a cidade de Bukavu na RDC. Os primeiros da classe ainda não parecem enfrentar uma crise migratória, nem o caos econômico ...

E a maioria dos participantes não consegue escapar do clichê do “positivo” ou da caricatura. E se acrescentarmos que os patrocinadores desta grande massa são grupos internacionais como L'Oréal ou Véolia, entendemos que o nervo da comunicação passa pelos orçamentos publicitários.

Sentado confortavelmente em uma poltrona vermelha, mas perplexo com o que vejo e ouço, simpatizo com 2 gerentes de um grupo de petróleo residente em Abu Dhabi. Eles me entregam generosamente seu cartão de visita ... É muito bom.

A intervenção do Dr. Mukwege me lembra que a igualdade de oportunidades está no cerne da revolução positiva. O filho de Kivu sabe o que significa pobreza. Seu chamado vibrante e indignado mais uma vez nos toca. E mais uma vez o herói da África em lágrimas, clama pelo fim dos crimes e estupros contra mulheres e crianças. Um profeta não pode ficar em silêncio.

Acompanhamento deste Fórum em 2018. Enquanto isso, grupos de trabalho se reunirão para fazer propostas nas áreas de saúde, energia, finanças, meio ambiente, território e empreendedorismo.

No trem, devoro o livro do padre Pedro, “Insurge you”. Ele, que longe dos fóruns parisienses, mantém as mãos sujas no meio das favelas. Deixo-lhe a última palavra por hoje:

“A verdade, ela vive, clama. Ela sofre, ela chora, ela se alegra. É a chave do amor, a única chave para abrir a porta de nossos corações trancados. "

Pedro Yeremian

© Info Chrétienne - Reprodução parcial autorizada seguida de um link "Leia mais" para esta página.

APOIE A INFORMAÇÃO CRISTÃ

Info Chrétienne por ser um serviço de imprensa online reconhecido pelo Ministério da Cultura, a sua doação é dedutível no imposto de renda em até 66%.