Editorial de Camille de 23 de março de 2022: Violação da liberdade religiosa

A notícia do dia nos oferece um foco em países onde os cristãos sofrem perseguição e veem sua liberdade religiosa ameaçada. 

Começar com Cuba onde, de acordo com um relatório da Christian Solidarity Worldwide publicado ontem, os casos de violações da liberdade de religião ou crença aumentaram num contexto de "agitação civil sem precedentes".

Na Nigéria, grupos armados ameaçam os cristãos, que são regularmente alvo de ataques e sequestros. Recentemente, três freiras beneditinas foram sequestradas do Mosteiro Kogi.

Na noite de segunda-feira, os sequestradores ligaram para o mosteiro e exigiram um resgate de 20 milhões de nairas, ou mais de 43 euros. As freiras da comunidade conseguiram angariar 000 nairas, cerca de 100 euros, na esperança de obter as suas libertações e tentaram negociar com os raptores, sem sucesso.

“Guarde esse dinheiro para o enterro deles”, disseram os agressores.

Pastor Yalam Timothy Shankar foi brutalmente assassinado em 17 de março de 2022, por volta das 20h30, em Chhattisgarh, Índia. A nora, que presenciou a tragédia, está traumatizada.

Um ato de grande violência que semeou terror nas comunidades cristãs do país.

Embora esta não seja uma notícia relacionada à liberdade religiosa, atualmente é difícil escrever um editorial sem mencionar a guerra que está dilacerando a Ucrânia. 

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, convidou nesta terça-feira o Papa Francisco para mediar as negociações entre Kiev e Moscou..

"Agradeceríamos o papel mediador da Santa Sé para pôr fim ao sofrimento humano" na Ucrânia, escreveu o presidente ucraniano no Twitter após uma entrevista por telefone com o papa.

Notícias que nos convidam a rezar pelos cristãos que são vítimas de perseguição e discriminação por causa de sua fé, bem como pelas vítimas do conflito na Ucrânia.

Camille Westphal Perrier

© Info Chrétienne - Reprodução parcial autorizada seguida de um link "Leia mais" para esta página.

APOIE A INFORMAÇÃO CRISTÃ

Info Chrétienne por ser um serviço de imprensa online reconhecido pelo Ministério da Cultura, a sua doação é dedutível no imposto de renda em até 66%.