Crimes contra a humanidade em Mianmar: “Coletamos e preservamos evidências”

“Os perpetradores desses crimes devem saber que não podem continuar agindo impunemente. Coletamos e preservamos evidências para que um dia sejam responsabilizadas. »

Le Mecanismo de Investigação Independente da ONU para Mianmar acaba de entregar o seu relatório anual, segundo o qual "os crimes contra a humanidade continuam a ser cometidos de forma sistemática em Myanmar, e os conflitos em curso têm graves repercussões sobre mulheres e crianças".

De acordo com o relatório, “há inúmeras indicações de que desde o golpe militar de fevereiro de 2021, crimes foram cometidos em Mianmar em escala e de maneira que constituem um ataque generalizado e sistemático contra uma população civil” e a natureza do crime potencial também está em expansão.

"Crimes contra mulheres e crianças estão entre os crimes internacionais mais graves, mas também são historicamente subnotificados e subinvestigados", disse Nicholas Koumjian, chefe do Mecanismo, que disse que não haverá impunidade.

“Os perpetradores desses crimes devem saber que não podem continuar agindo impunemente. Coletamos e preservamos evidências para que um dia sejam responsabilizadas. »

Desde o início de suas operações, há 3 anos, o Mecanismo recolheu mais de três milhões de itens informações de cerca de 200 fontes. São depoimentos, documentação, vídeos, fotografias, imagens geoespaciais e material das redes sociais.

Essas fontes relatam crimes sexuais e de gênero, incluindo estupro e outras formas de violência sexual, e crimes contra crianças perpetrados por membros das forças de segurança e grupos armados. De acordo com o relatório, crianças em Mianmar foram torturadas, recrutadas e detidas arbitrariamente.

O mecanismo de inquérito foi estabelecido em 2018 pelo Conselho de Direitos Humanos da ONU. O seu objectivo é recolher provas sobre os crimes mais graves com vista a um eventual processo penal.

MC

Crédito de imagem: Shutterstock.com / Maung Nyan

© Info Chrétienne - Reprodução parcial autorizada seguida de um link "Leia mais" para esta página.

APOIE A INFORMAÇÃO CRISTÃ

Info Chrétienne por ser um serviço de imprensa online reconhecido pelo Ministério da Cultura, a sua doação é dedutível no imposto de renda em até 66%.