Como se posicionar frente ao esoterismo ambiental?

As chamadas práticas esotéricas estão em alta hoje. Tranquilos e atraentes, eles interessam a um público em busca de respostas e sensações. Mas eles são perigosos, mesmo ocultos? Como se posicionar?

Esoterismo, uma norma?

Solicitar um magnetizador capaz de remover a espinha irritante que a medicina tradicional se esforçou para curar? Afinal, por que não? Por mais de 5000 anos, o esoterismo exerceu forte influência em nossas sociedades, reunindo em torno de suas práticas muitos seguidores. Entre eles, curiosos, místicos ou supersticiosos que não hesitam em mergulhar, ou simplesmente pessoas que desejam resolver um problema de saúde desta forma: O esoterismo nunca está muito longe, no consultório de 'um curandeiro, um hipnotizador ou um clarividente, explica Franck Alexandre, evangelista e fundador da associação internacional de evangelização Espoir et Délivrance. Ele também pode ser encontrado na seção de horóscopo e astrologia das revistas. Mas também devemos abrir nossos olhos para todos os novos métodos de relaxamento e medicina alternativa, que muitas vezes incluem essa dimensão esotérica. O esoterismo se infiltra em todos os lugares, geralmente de uma forma muito inócua.

Um passo longe do ocultismo

À primeira vista, inofensivo, simples conforto ou solução de última chance, porém não é trivial, como suas raízes testemunham: A palavra "esoterismo" é uma palavra de origem grega que na Antiguidade designava os ensinamentos reservados a um pequeno número de iniciados. São ensinamentos geralmente ocultos, reservados a alguns, o que lhes confere um caráter sectário, até oculto, alerta Franck Alexandre.

E se algumas religiões também têm ensinamentos esotéricos, o Cristianismo bíblico não os subscreve. Jesus dirá: falei abertamente ao mundo; Sempre ensinei na sinagoga e no templo, onde se reúnem todos os judeus, e nada disse em segredo (Jo 18,20). A Bíblia também alerta contra as práticas esotéricas, que não incentiva nem no Antigo Testamento (2 Cr. 33,6) nem no Novo (Atos 19,19).

Consequências físicas, mentais e espirituais

Embora a sociedade suavize as arestas, o esoterismo não deixa de ter consequências. Franck Alexandre não hesita em fazer a ligação entre ocultismo e esoterismo: Ocultismo significa “o que está escondido”. A linha entre o que é ensinado em segredo e o demoníaco é, portanto, tênue. Por meio desses promotores, geralmente gurus, o esoterismo coloca os iniciados em um caminho que os leva a explorar universos misteriosos e proibidos. E entre esses universos, antigas práticas ancestrais que estão fazendo um grande retorno hoje, como o druidismo, o neopaganismo ou a Nova Era.

Quais consequências para seus iniciados?

O Pastor Jacques Beauverd testemunha: Tenho observado repetidas vezes consequências danosas, em particular no campo da saúde mental ou física, sem falar nos bloqueios espirituais, chegando às vezes até a incapacidade de ler a Bíblia ou orar. E ainda, alguns reconhecem os poderes dos curandeiros para parar o sangramento ou os de um vidente revelando uma resposta a uma oração. As aparências enganam, porque suas fontes não são sólidas, continua Jacques Beauverd: Conscientemente ou não, há um pedido dirigido ao mundo das trevas. Conheci um pastor que comparou qualquer prática esotérica ou oculta a um fogo que fere e destrói. E eu o ouvi dizer: você não toca neste fogo sem se queimar, em alguns casos muito gravemente, em outros um pouco menos, mas sempre é absolutamente prejudicial.

Necessidade de discernimento

Como reconhecer o que é bom e o que não é? Como reagir ao esoterismo? Jacques Beauverd nos dá um conselho: O esoterismo e o ocultismo vêm em tantas formas diferentes, às vezes com os rostos descobertos e muitas vezes com tal camuflagem, que é impossível fazer uma avaliação completa. O mais sensato é aplicar o princípio da precaução em caso de dúvida.

Outras ferramentas estão à nossa disposição para mostrar visão. A Bíblia, é claro, mas também os conselhos sábios de amigos cristãos, bem como o acesso a obras cristãs sobre o assunto. Quanto à questão do discernimento espiritual, é importante, explica Franck Alexandre: O discernimento muitas vezes é forjado com experiência, testemunhos, conhecimentos bíblicos. E então, felizmente, acontece que Deus, por meio de seu Espírito Santo, nos dá o discernimento se esta ou aquela prática é boa ou má.

C. Bankole

Encontre mais artigos sobre Espiritualidade, a revista que reúne mulheres cristãs do mundo de língua francesa.

© Info Chrétienne - Reprodução parcial autorizada seguida de um link "Leia mais" para esta página.

APOIE A INFORMAÇÃO CRISTÃ

Info Chrétienne por ser um serviço de imprensa online reconhecido pelo Ministério da Cultura, a sua doação é dedutível no imposto de renda em até 66%.