Como você sobrevive emocionalmente quando não se sente amado?

Muitas mulheres enfrentam esse sofrimento.

Alguns são casados ​​e tentam por todos os meios conquistar o amor de um marido indiferente. Outros são solteiros e parecem transparentes para muitos homens. Muitas mulheres se protegem colocando um muro em volta do coração, para enfrentar a mentira destrutiva que as faz acreditar que não são atraentes ou desejáveis. Eles se protegem atrás de uma carreira “ocupada”, perfeccionismo ou autopiedade.

A história de Léa: uma mensagem especial para as mulheres

Na Bíblia, Lia encontrou satisfação quando começou a buscá-la em Deus e não mais em Jacó, seu marido. Mais velha e menos mimada do que Raquel, sua irmã, Lia fora imposta a Jacó por seu pai, Labão. Ela era sua primeira esposa, mas não seu primeiro amor. Jacó se apaixonou por Raquel à primeira vista, mas nunca prestou atenção em Lia. Toda mulher tem um desejo profundo de ser amada, de se sentir bonita aos olhos de seu marido, segura e respeitada. Mas Lea se sentia feia e indesejada.

Pegue o olhar de Deus

No coração do sofrimento, um raio de esperança nasceu e encheu Leah com uma nova consciência de seu valor. A Bíblia diz: "O Senhor viu que Lia não era amada e a fez frutificar, enquanto Raquel era estéril" (gên. 29:31). esta é talvez uma das maiores ironias dos relatos bíblicos. Em uma cultura onde a maternidade era o sinal mais característico da aprovação divina, Lea de repente teve a vantagem.

Deus sempre teve cuidado especial com os não amados, aqueles que são negligenciados. eles são os que ele escolhe. Para ilustrar essa verdade, a Bíblia revela que foi da tribo de Judá (o quarto filho de Jacó e Lia) que veio um descendente chamado Jesus de Nazaré.

Aceite o amor de deus

A cada novo filho que lhe é dado, Lea progride em sua jornada como uma mulher que aprende a aceitar o amor de Deus. Aos poucos ela foi passando do sofrimento ao elogio.

Seu primeiro filho chamava-se Rúben (“o Senhor vê”), o que significava “sua humilhação”. Lea não era a primeira no coração do marido, mas esperava que a vinda de Reuben lhe trouxesse favores. Seu segundo filho chamava-se Simeão (“o Senhor ouve”) e o terceiro Levi (“apegado a”). Na verdade, ela ansiava por intimidade e tinha sede de se relacionar emocionalmente. Essa necessidade logo seria atendida de uma forma surpreendente. Mesmo que o afeto de Jacob não tivesse mudado muito, algo estava mudando em Leah. Ela chamou seu filho mais novo de Judá ("louvor").

A jornada de Lea revela que a mulher deve aprender a se deixar ser amada por Deus. A maneira de pensar de Lea mudou completamente. Ela mudou do pensamento: "Não sou amada" para "Deus me acha bonita". Em vez de se concentrar no que faltava na vida, ela se concentrou no que tinha em Deus. Quando uma mulher constrói sua vida sobre um homem, ela não pode evitar o desapontamento e a tristeza. Mas quando ela aprende a entregar seu coração completamente a Deus, ela começa uma vida de plena satisfação.

Nina Charles

Encontre mais artigos sobre Espiritualidade, a revista que reúne mulheres cristãs do mundo de língua francesa.

© Info Chrétienne - Reprodução parcial autorizada seguida de um link "Leia mais" para esta página.

APOIE A INFORMAÇÃO CRISTÃ

Info Chrétienne por ser um serviço de imprensa online reconhecido pelo Ministério da Cultura, a sua doação é dedutível no imposto de renda em até 66%.