Censura da CSA: "Querida futura mãe" coloca um problema de acordo com o Conselho de Estado

O Conselho de Estado apreciou quarta-feira o recurso interposto pela Fundação Jérôme Lejeune, o Coletivo Les Amis d'Éléonore e sete jovens com síndrome de Down contra o Conselho Superior do Audiovisual (CSA), a seguir a censura pela CSA do vídeo de conscientização, "Querida futura mãe", transmitido em dez outros países.

L
As conclusões finais da comissão só serão divulgadas em 2 a 3 semanas, mas Laurence Marion, relator público do Conselho de Estado, falou no final da audiência para apresentar as primeiras conclusões.

Um filme de sucesso, não condenável

No seu discurso, o filme é inicialmente apresentado como “muito exitoso ... reconfortante para os pais de filhos deficientes, útil e educativo para a sociedade”, defendendo uma postura “que não é censurável para dar argumentos positivos a uma mãe que espera um filho com síndrome de Down ”.

Mas o filme "representa um problema"

No entanto, ela declara então que o filme não é "de interesse geral". Para Laurence Marion, “a escolha de enviar a mensagem às futuras mães antes do nascimento é um problema. "

O presidente da Fundação Jérôme Lejeune, Jean-Marie Le Méné, declarou no final da comissão:

“Chegamos a nos opor ao direito das mulheres de exigir o aborto e ao direito dos deficientes de dizer que estão felizes por estarem vivos. É um absurdo! "

Coletivos e associações, portanto, permanecem aguardando a decisão dos magistrados.

O editorial

Fonte: Genética

© Info Chrétienne - Reprodução parcial autorizada seguida de um link "Leia mais" para esta página.

APOIE A INFORMAÇÃO CRISTÃ

Info Chrétienne por ser um serviço de imprensa online reconhecido pelo Ministério da Cultura, a sua doação é dedutível no imposto de renda em até 66%.