Birmânia: "É hora de ser ouvido" pelos cristãos evangélicos após o golpe

Embora em minoria e diretamente afetados pelo golpe, os cristãos evangélicos em Mianmar se engajam em orações e manifestações de protesto. 

Les manifestações continuar na Birmânia para protestar contra o Rebelião perpetrado na segunda-feira, 1 de fevereiro, pelas forças armadas birmanesas contra o governo democrático. Um doloroso lembrete para o povo de Mianmar, que viveu décadas de regime militar até a intervenção da ativista democrática e ex-líder do país, Aung San Suu Kyi

Muitos pastores evangélicos também foram às ruas, eles acreditam que Deus está do lado do povo e oram desesperadamente para que sua justiça seja feita Christianity Today (TC).

Apesar dos cortes nacionais de internet e telefone e a pandemia que impede os cristãos de se reunirem, as igrejas estão se mobilizando para se adaptar à situação e continuar a encorajar umas às outras. “Nossos amigos e parentes estão inacessíveis, mas não conseguirão abafar nossas vozes”, disse Michael Koko Maung, líder de uma rede nacional que está plantando igrejas.

“No terreno, nossos irmãos e irmãs [cristãos] continuarão seu movimento de desobediência civil pacífica, o batuque de potes e panelas, manifestações pacíficas em massa e canções de condenação pelos militares. No exterior, deixaremos o mundo saber que estamos retaliando. "

Pastores em sua rede, Nehemiah Ministries, compartilharam fotos deles protestando enquanto os protestos em massa continuavam pelo terceiro dia consecutivo, segunda-feira, 8 de fevereiro.

Se os pastores desta rede são muito ativos nas manifestações, eles são ainda mais ativos na oração.. " Os cristãos de Mianmar não são tímidos nem covardes e também lutam com [sua] maior arma, a oração e o próprio Jesus ", disse Michael Koko Maung, que chama os cristãos de todo o mundo a se unirem em oração em face desta luta" para superar o pecado e Planos de Satanás ".

Houve “um tempo para orar, um tempo para esperar, um tempo para calar, agora é hora de ser ouvido”, acrescentou o pastor.

De uma população de 54,8 milhões, existem 4,4 milhões de cristãos e os evangélicos representam apenas 5% da população. O país ocupa a 18ª posição no índice mundial anual de perseguição religiosa dosPortas abertas de ONGs. O estabelecimento de um regime militar "Pode significar uma provisão reforçada para a religião dominante" e, portanto, uma ameaça às minorias religiosas, incluindo os cristãos.

Camille Westphal Perrier

Crédito da imagem: kan Sangtong / Shutterstock.com

© Info Chrétienne - Reprodução parcial autorizada seguida de um link "Leia mais" para esta página.

APOIE A INFORMAÇÃO CRISTÃ

Info Chrétienne por ser um serviço de imprensa online reconhecido pelo Ministério da Cultura, a sua doação é dedutível no imposto de renda em até 66%.