Blasfêmia: Cristão condenado à prisão perpétua no Paquistão

Segundo seu advogado, o veredicto do tribunal de Rawalpindi poderia ter sido proferido "sob pressão".

Zafar Bhatti foi condenado à prisão perpétua em 2017 após o alegado enviando SMS blasfemo. Este cristão continua a negar essa acusação. No entanto, um tribunal em Rawalpindi acaba de confirmar isso sentença de vida.

Seu advogado, Tahir Bashir, lamenta que a sentença tenha sido confirmada em 22 de junho, apesar de as novas provas apresentadas não estabelecerem uma ligação direta entre Zafar Bhatti e o delito de que é acusado. Ele denuncia uma armadilha.

“Quando alguém liga para a operadora de telefonia móvel para ativar o cartão SIM, sua voz é gravada. Nesse caso, o cartão SIM usado no suposto delito foi ativado três vezes, as duas primeiras vezes por alguma pessoa ligada à Sra. Khan [esposa do reclamante, nota do editor] e a terceira vez pela própria mulher. Bhatti nunca teve o cartão SIM, mas seu telefone foi misteriosamente usado para enviar mensagens de texto blasfemas. É bastante claro que o condenado foi preso no caso por meio de seu telefone. "

Ele acrescenta que o veredicto pode ser proferido "sob pressão".

“O juiz do tribunal de primeira instância proferiu o veredicto sob imensa pressão, porque o queixoso era um funcionário do grupo extremista islâmico Ahle Sunnat Wal Jamaat. Acho que o veredicto dessa vez também foi pressionado, pois não há evidências diretas contra Bhatti. "

MC

Fonte: Notícias da Estrela da Manhã

© Info Chrétienne - Reprodução parcial autorizada seguida de um link "Leia mais" para esta página.

APOIE A INFORMAÇÃO CRISTÃ

Info Chrétienne por ser um serviço de imprensa online reconhecido pelo Ministério da Cultura, a sua doação é dedutível no imposto de renda em até 66%.