Aumento da perseguição aos cristãos no mundo: "A Igreja que sofre precisa de pessoas que falem por nós"

Shutterstock_1248158992.jpg

“A Igreja sofredora precisa de pessoas que falem por nós. Para que os assassinatos parem, mais organizações como a ACN precisam falar a verdade sobre o que está acontecendo com os cristãos em todo o mundo. Caso contrário, seremos sempre perseguidos e esquecidos. »

a organização Ajuda à Igreja que Sofre (AED) lançado na sexta-feira “Perseguidos e esquecidos? Um relatório sobre cristãos oprimidos por sua fé 2020-22 ». Ela relata o aumento da opressão ou perseguição aos cristãos em 75% dos 24 países estudados.

O relatório revela que na África “a situação dos cristãos piorou em todos os países examinados”. Ele denuncia o “aumento acentuado da violência genocida por parte de militantes não estatais, incluindo jihadistas”. 

No Oriente Médio, a Ajuda à Igreja que Sofre acredita que “a sobrevivência de três das maiores e mais antigas comunidades cristãs do mundo localizadas no Iraque, Síria e Palestina” está ameaçada.

Na Ásia, segundo o relatório, “o autoritarismo do Estado foi o fator crítico que agravou a opressão contra os cristãos”, notadamente em Mianmar, China e Vietnã. Nesta área, os especialistas também apontam para o nacionalismo religioso, que tem causado “uma crescente perseguição aos cristãos no Afeganistão, na Índia, no Paquistão e em outros lugares”.

No preâmbulo, o relatório dá a palavra a Andrew Adeniyi Abayomi, sacerdote nigeriano de a igreja de Owo atacada em 5 de junho. Para ele, este relatório é “de vital importância porque destaca as terríveis ameaças enfrentadas pelos crentes”.

“Não são apenas os cristãos da Nigéria que estão sofrendo, mas também os do Paquistão, China, Índia e muitos outros lugares. Cristãos estão sendo mortos em toda a África, suas igrejas atacadas e aldeias arrasadas. No Paquistão, eles são detidos injustamente sob falsas acusações de blasfêmia. Meninas cristãs menores de idade são sequestradas, estupradas, forçadas a se converter e se casar com homens de meia-idade em países como Egito, Moçambique e Paquistão. Na China e na Coreia do Norte, governos totalitários esmagam os fiéis, monitorando cada movimento seu. E, como mostra este relatório, a lista de abusos continua. A Igreja sofredora precisa de pessoas que falem por nós. Para que os assassinatos parem, mais organizações como a ACN precisam falar a verdade sobre o que está acontecendo com os cristãos em todo o mundo. Caso contrário, seremos sempre perseguidos e esquecidos. »

Uma opinião compartilhada por John Pontifex, autor do relatório, que diz: "Vamos fazer tudo o que pudermos para mostrar que eles não são esquecidos".

MC

Crédito da imagem: Shutterstock/ Doidam 10

Artigos recentes >

Resumo das notícias de 22 de março de 2023

Pela redação
ícone de relógio cinza contornado

Notícias recentes >