Afeganistão / Mike Pompeo: "A possibilidade de genocídio contra os cristãos após esta retirada é extremamente alta"

“Visto que muitos deles são muçulmanos convertidos, um crime punível com a morte segundo os ditames da lei Sharia que o Talibã adotou abertamente, a possibilidade de que haja genocídio contra os cristãos como resultado dessa redução é extremamente alta. "

Mike Pompeo, ex-Secretário de Estado dos Estados Unidos sob a administração de Trump e ex-Diretor da CIA, é Assessor Jurídico para Assuntos Internacionais da Centro Americano de Lei e Justiça (ACLJ). Ele acaba de publicar um artigo no qual denuncia a política de Joe Biden para o Afeganistão.

Mike Pompeo afirma que a "catástrofe que se desenrolou no Afeganistão nas últimas semanas mostrou em termos contundentes a incompetência e a fraqueza do governo Biden".

Se ele lembra que a prioridade americana deve ser a exfiltração de todos os americanos para fora do Afeganistão em total segurança e quaisquer que sejam as condições estabelecidas pelo Talibã, Mike Pompeo também denuncia o que considera ser um "outro trágico efeito colateral deste mal executado retirada ”, a perseguição aos cristãos afegãos.

O ex-secretário de Estado fala de um possível “genocídio contra os cristãos”.

“Visto que muitos deles são muçulmanos convertidos, um crime punível com a morte segundo os ditames da lei Sharia que o Talibã adotou abertamente, a possibilidade de que haja genocídio contra os cristãos como resultado dessa redução é extremamente alta. "

Mike Pompeo menciona sobre este assunto as listas de cristãos conhecidos elaboradas pelo Talibã, ou o  de porta em porta que eles realizam em busca de Bíblias.

De acordo com Mike Pompeo, o ACLJ está atualmente preparando uma intervenção oral na ONU "para enfrentar o pesadelo humanitário e o potencial genocídio".

MC

Crédito da imagem: Creative Commons / Wikimedia

© Info Chrétienne - Reprodução parcial autorizada seguida de um link "Leia mais" para esta página.

APOIE A INFORMAÇÃO CRISTÃ

Info Chrétienne por ser um serviço de imprensa online reconhecido pelo Ministério da Cultura, a sua doação é dedutível no imposto de renda em até 66%.