Abuso sexual na Igreja: criação de uma linha telefônica específica para vítimas na Alsácia

A associação France Victimes que apoia vítimas de violência física, sexual ou psicológica e a diocese de Estrasburgo anunciaram ontem, terça-feira, 11 de janeiro, a criação de uma linha de apoio para vítimas alsacianas de abuso sexual na Igreja Católica. 

em o site da diocese de Estrasburgo, Dom Luc Ravel descreve a apresentação do relatório da Comissão Independente sobre Abuso Sexual na Igreja (CIASE), que ocorreu em 5 de outubro de 2021, como “uma bomba atômica”.

Ele evoca números "impressionantes", aliás, o relatório do CIASE revelou que 216 menores foram abusados ​​por clérigos e religiosos na França entre 1950 e 2020. Um número que sobe para 330 se somarmos os agressores leigos que trabalham nas instituições da Igreja Católica.

Após esta onda de choque, a diocese recebeu cerca de sessenta testemunhos adicionais, o que representa “quatro por semana”, segundo o Arcebispo de Estrasburgo, entrevistado por França Azul Alsácia.

Neste contexto, a diocese de Estrasburgo, em colaboração com a associação France Victimes, anunciou ontem, terça-feira, 11 de janeiro, a abertura de uma linha telefônica específica que permitirá às vítimas de abuso sexual na Alsácia se darem a conhecer e compartilhar seu testemunho.

Esta linha de ajuda da Alsácia, que pode ser alcançada em 06.09.73.96.78, estará acessível de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h. Ouvintes leigos independentes, especialistas da associação France Victimes en Alsace, vão assim ouvir as vítimas para lhes prestar assistência jurídica, psicológica e social.

A diocese de Estrasburgo também oferece às vítimas de abuso sexual que enviem um e-mail à associação ou denunciem um abuso à diocese graças ao um formulário acessível diretamente em seu site.

Camille Westphal Perrier

Crédito da imagem Shutterstock / ImYanis

© Info Chrétienne - Reprodução parcial autorizada seguida de um link "Leia mais" para esta página.

APOIE A INFORMAÇÃO CRISTÃ

Info Chrétienne por ser um serviço de imprensa online reconhecido pelo Ministério da Cultura, a sua doação é dedutível no imposto de renda em até 66%.