Igreja Anglicana mobilizada na crise habitacional do Reino Unido que afeta oito milhões de pessoas

Um relatório publicado no domingo, 21 de fevereiro, pela Igreja Anglicana, revela que 8 milhões de pessoas vivem em moradias "superlotadas, inacessíveis ou inadequadas" no Reino Unido. A Igreja propõe uma série de medidas concretas para conter esta crise habitacional. 

Los arcebispos de Canterbury e York encomendaram um harmonia intitulado "Coming Home" em resposta a a crise imobiliária na Inglaterra. Uma crise habitacional destacada pela pandemia Covid-19 que mostrou as situações difíceis enfrentadas por milhões de britânicos.

De acordo com o relatório, "cerca de 8 milhões de pessoas vivem em moradias superlotadas, inacessíveis ou inadequadas". UMA figura alarmante o que "não é normal" e que aponta para uma situação de crise que afeta setores inteiros da sociedade no Reino Unido.

“Setores inteiros de nossa sociedade, incluindo pessoas de todas as idades, são afetados pela crise imobiliária, mas aqueles que vivem na pobreza são os que mais sofrem com essa injustiça. "

Ele acrescenta que o Reino Unido deve "aspirar a criar melhores moradias" para as comunidades.

O Diretor-Geral da CIH considera que as recomendações formuladas em “Coming Home” constituem “um roteiro claro e útil”. Em particular, o relatório destaca “cinco valores essenciais que definem um novo padrão e uma nova visão de como deve ser uma boa habitação”. A carcaça deve, portanto, ser: durável, segura, estável, fácil de usar e satisfatória.

“Uma estratégia de moradia de longo prazo, apoiada por um apoio realista ao custo da moradia para pessoas de baixa renda, é essencial para garantir que cada indivíduo em cada comunidade tenha um lugar que possa chamar de lar. "

Camille Westphal Perrier

© Info Chrétienne - Reprodução parcial autorizada seguida de um link "Leia mais" para esta página.

APOIE A INFORMAÇÃO CRISTÃ

Info Chrétienne por ser um serviço de imprensa online reconhecido pelo Ministério da Cultura, a sua doação é dedutível no imposto de renda em até 66%.