Nigéria: 32 pessoas mortas por homens armados no estado de Kaduna

Trinta e duas pessoas foram mortas por homens armados que destruíram dezenas de casas em vários ataques no domingo no instável estado de Kaduna, no noroeste da Nigéria, disseram autoridades locais nesta quinta-feira.

Gangues criminosas fortemente armadas conhecidas localmente como "bandidos" têm invadido aldeias no noroeste e centro da Nigéria para sequestrar ou matar moradores há anos, mas seus ataques aumentaram recentemente.

Nos últimos meses, eles atacaram um trem de passageiros da capital Abuja para Kaduna e sequestraram dezenas de pessoas, massacraram mais de 100 aldeões e mataram uma dúzia de membros de grupos de vigilantes.

No domingo, “bandidos atacaram as aldeias de Dogon Noma, Ungwan Sarki e Ungwan Maikori na área do governo local de Kajuru”, disse o comissário de Segurança do Estado, Samuel Aruwan, em comunicado.

Os agressores "invadiram a área chegando em grande número em motos e arrasaram várias casas, atacando e matando moradores", acrescentou.

“Os bandidos atacaram as duas primeiras localidades e mataram 31 cidadãos. Eles então se mudaram para Ungwan Maikori, onde mataram uma pessoa e incendiaram casas”, disse Aruwan.

Uma declaração da Adama Development Association (ADA), transmitida por Repórteres do Saara, revela que a Igreja Evangélica Vencedora de Todos (ECWA) em Dogo Noma foi completamente destruída no ataque. Enquanto algumas casas foram incendiadas em Ungwan Sarki e a aldeia de Maikori foi reduzida a cinzas. Casas em Unguwan Sarki e Unguwan Gamu também foram queimadas.

O comunicado disse ainda que um helicóptero lançou ataques aéreos contra civis que tentavam se defender.

“Para horror dos civis, um helicóptero pintado de branco enfrentou os bravos aldeões e começou a atirar nos jovens do ar, deixando de fora os assassinos que podiam ser claramente identificados pelo modo de vestir e suas posições. . »

A Agence France Presse, retomando o depoimento do Sr. Aruwan, afirma, no entanto, que as forças de segurança enviaram um helicóptero que perseguiu os "bandidos" antes da chegada das tropas ao terreno.

A ADA pediu à Força Aérea da Nigéria que investigue o incidente e determine se o helicóptero e a tripulação são afiliados às forças armadas nigerianas.

Segundo a ONG Acled, os bandidos mataram mais de 2.600 civis em 2021, um aumento de 250% em relação a 2020. Um número que supera em muito o das vítimas dos grupos jihadistas Estado Islâmico e Boko Haram.

O presidente nigeriano Muhammadu Buhari, ex-general do exército, está sob pressão para acabar com a violência desses "bandidos" antes de deixar o cargo no ano que vem, após seus dois mandatos como chefe da Nigéria.

Camille Westphal Perrier (com AFP)

Crédito da imagem: Shutterstock.com/i_am_zews

© Info Chrétienne - Reprodução parcial autorizada seguida de um link "Leia mais" para esta página.

APOIE A INFORMAÇÃO CRISTÃ

Info Chrétienne por ser um serviço de imprensa online reconhecido pelo Ministério da Cultura, a sua doação é dedutível no imposto de renda em até 66%.