Irã: Preso por sua fé por 4 anos, Christian Maryam está livre!

No Irã, o cristão Maryam Naghash Zargaran finalmente recuperou a liberdade após 4 anos de cativeiro.

Aapós 4 anos na prisão de Evin por "ataque à segurança nacional", a iraniana Christian Maryam Naghash Zargaran foi libertada em Teerã na noite de 1º de agosto. Maryam, 39, convertida do islamismo ao cristianismo, foi a primeira a ser questionada por agentes de inteligência em janeiro de 2010, por causa de seu trabalho com igrejas domésticas clandestinas.

Em janeiro de 2013, ela foi presa junto com o pastor iraniano-americano Saeed Abedini devido às suas atividades em um orfanato. Os dois foram condenados alguns meses depois. O pastor Abedini tinha sido liberado em janeiro de 2016, por pressão do estado americano.

Conforme Notícias de Mohabat, que publicou parte da transcrição da condenação de Maryam Naghash Zargaran, o tribunal a condenou por agir "contra a segurança, seguindo a agenda da Inglaterra e ocupar a Palestina para propagar o cristianismo no Irã, com o objetivo de perverter a sociedade iraniana contra o islã".

Enquanto estava na prisão, Maryam sofreu assédio e recusou repetidamente o tratamento médico, apesar de seu histórico médico. Ela fez várias greves de fome para protestar contra isso. Em várias ocasiões, ela foi autorizada a sair da prisão temporariamente para receber tratamento médico, mas todas as vezes foi forçada a retornar. A sentença dele foi até estendido por 6 semanas para compensar o tempo gasto fora da prisão.

No ano passado, sua família disse que as condições da prisão a traumatizaram e a deixaram deprimida. A Amnistia Internacional mencionou o seu caso em acusando o Irã de "crueldade" ao recusar tratamento médico nas prisões.

A jovem que fez uma operação cardíaca há 10 anos precisa de um check-up médico regular. Ela também sofre de doenças do disco lombar, artrite e osteoporose. As condições estressantes na prisão pioraram sua doença cardíaca.

perguntado por Monitor da Vigilância Mundial, advogado de defesa Mansour Borji, denuncia injustiças e ataques à liberdade religiosa:

“Parte dessa repressão se reflete no aumento do número de prisões, mas também em campanhas de difamação contra as minorias religiosas, especialmente os cristãos. "

Nos últimos meses, uma dúzia de cristãos, especialmente convertidos do islamismo ao cristianismo, obtiveram pesadas penas de prisão de até 10 anos ou mais, levando 2 cristãos presos a fazer greve de fome. Mais recentemente, Amin Afshar Naderi, inicialmente condenado a 15 anos de prisão, foi libertado sob fiança após uma greve de fome de 3 semanas.

MAG

© Info Chrétienne - Reprodução parcial autorizada seguida de um link "Leia mais" para esta página.

APOIE A INFORMAÇÃO CRISTÃ

Info Chrétienne por ser um serviço de imprensa online reconhecido pelo Ministério da Cultura, a sua doação é dedutível no imposto de renda em até 66%.