Igreja da Inglaterra pede desculpas em nome dos cristãos por leis antijudaicas aprovadas há 800 anos

No domingo, 8 de maio, durante um serviço especial na Christ Church Cathedral em Oxford, a Igreja da Inglaterra pediu desculpas por leis aprovadas há 800 anos que permitiam a expulsão de judeus da Inglaterra. A oportunidade “para recordar, arrepender-se e reconstruir”, segundo o líder da Igreja, Justin Welby. 

Uma cerimônia foi realizada no domingo, 8 de maio, na Christ Church Cathedral, em Oxford, para o oitavo centenário do Sínodo de Oxford, na presença de líderes religiosos, incluindo Ephraim Mirvis, o rabino-chefe da Grã-Bretanha e representantes de Justin Welby, arcebispo de Canterbury.

Nesta ocasião, a Igreja Anglicana pediu desculpas à comunidade judaica por leis aprovadas há 800 anos que levaram à expulsão de judeus da Inglaterra.

No século XNUMX, o Sínodo de fato adotou leis que proibiam todas as interações sociais entre judeus e cristãos. Além disso, os judeus eram obrigados a usar crachás para se identificar, tinham que transferir parte de seu salário, o dízimo, para a igreja e certas profissões não eram acessíveis a eles. Além disso, eles não foram autorizados a construir novos locais de culto.

Outras medidas foram postas em prática ao longo do tempo, proibindo os judeus de possuir terras ou passar suas propriedades para seus filhos. De acordo com Guardião, todos os judeus na Inglaterra acabaram sendo expulsos por um decreto em 1209 e foram forçados ao exílio por mais de 360 ​​anos.

Embora a Igreja da Inglaterra tenha surgido apenas no século XNUMX, o arquidiácono de Oxford, Jonathan Chaffey, acredita que é certo que os cristãos se arrependam desses "atos vergonhosos". Ele também disse que a Igreja Católica Romana "concorda totalmente" com o pedido de desculpas.

Esta iniciativa faz parte um processo de reconciliação iniciado em 2019 após a publicação de um documento produzido pela Igreja da Inglaterra que declarava, entre outras coisas, que as atitudes da Igreja em relação ao judaísmo ao longo dos séculos forneceram "terreno fértil para o anti-semitismo assassino".

Em um post no Twitter, o arcebispo de Canterbury, Justin Welby, escreveu que a cerimônia é "um momento para lembrar, se arrepender e reconstruir". “Ore para que ele inspire os cristãos hoje a rejeitar as formas contemporâneas de antijudaísmo e antissemitismo e a apreciar e receber o presente de nossos vizinhos judeus”, acrescentou.

Camille Westphal Perrier

© Info Chrétienne - Reprodução parcial autorizada seguida de um link "Leia mais" para esta página.

APOIE A INFORMAÇÃO CRISTÃ

Info Chrétienne por ser um serviço de imprensa online reconhecido pelo Ministério da Cultura, a sua doação é dedutível no imposto de renda em até 66%.