EUA: Convenção Batista do Sul acusada de obstrução em casos de agressão sexual

Oficiais da principal igreja protestante americana, a Convenção Batista do Sul, há muito praticam obstrução e ocultação de vítimas de agressão sexual, conclui uma longa investigação confirmando fatos graves envolvendo centenas de pessoas, muitas delas menores.

Este relatório investigativo de 288 páginas, tornado público no domingo, foi produzido por uma organização independente, Guidepost Solutions, que havia sido encomendada pela liderança da Convenção Batista do Sul, afetada por um escândalo sexual de alto nível.

Esse escândalo, envolvendo quase 400 pastores, voluntários e educadores ao longo de duas décadas, foi trazido à tona em 2019 graças às investigações de dois jornais diários do Texas, o Houston Chronicle e o San Antonio Express-News.

Durante essas quase duas décadas, as vítimas de agressão sexual, bem como as pessoas preocupadas com esses fatos dentro da Igreja, entraram em contato com o comitê executivo da Convenção Batista do Sul, observa o relatório.

“Eles se opuseram repetidamente à resistência, obstrução e até hostilidade direta de alguns membros do comitê executivo”, continua ele.

"Nossa investigação revela que, por muitos anos, alguns funcionários do comitê executivo, com assistência jurídica externa, controlaram amplamente a resposta a essas informações de abuso", escrevem também os autores do relatório.

“Eles guardam de perto as informações sobre alegações de abuso e ações judiciais, não as compartilham com os membros do conselho e concentram seus esforços em evitar a responsabilização pela Convenção Batista do Sul, excluindo outras considerações”, concluem.

A Convenção Batista do Sul, com uma rede de milhares de igrejas, tem mais de quinze milhões de membros, principalmente no sul dos Estados Unidos.

A equipe editorial (com AFP)

Crédito de imagem: Shutterstock.com/Eric Glenn

© Info Chrétienne - Reprodução parcial autorizada seguida de um link "Leia mais" para esta página.

APOIE A INFORMAÇÃO CRISTÃ

Info Chrétienne por ser um serviço de imprensa online reconhecido pelo Ministério da Cultura, a sua doação é dedutível no imposto de renda em até 66%.