Bíblia aberta fundida com aço fundido encontrada nos escombros do World Trade Center

Existem “chances” que não podem ser. Tantos capítulos, tantos versos ...

CEstas são as palavras de Jesus no Evangelho de Mateus faladas durante o Sermão da Montanha, que foram fundidas em um caco de aço e encontradas nos escombros do Marco Zero, 6 meses após o colapso do World Trade Towers Center.

“Ouvistes o que foi dito: olho por olho e dente por dente. Mas eu te digo para não resistir ao bandido. Se alguém bater na sua bochecha direita, vire a outra para ele também. "

Foi só em março de 2002 que este pedaço de aço foi descoberto por um bombeiro sob a Tully Road, uma estrada temporária construída para extrair gradualmente os escombros da torre sul.

O fotógrafo Joel Meyerowitz também estava no local naquele dia. Ele vinha fazendo trabalho de arquivo há meses, imortalizando as terríveis cenas de desolação que se seguiram ao ataque terrorista. Ele passou 9 meses nos escombros antes de publicar o livro “Aftermath: World Trade Center Archive”.

“Esta Bíblia rasgada, queimada e coberta de escombros veio até mim das mãos amorosas de um bombeiro que sabia que eu era o guardião dos trilhos do Ground Zero. "

“Minha surpresa ao ver a Bíblia aberta a esta passagem me fez perceber que a mensagem da Bíblia sobrevive através dos tempos ... Em cada época, estamos interpretando os ensinamentos de uma nova maneira, à luz dos eventos atuais. "

O fragmento de aço está agora em exibição no memorial permanente do Ground Zero. Constitui um traço avassalador deste grande acontecimento do século XXI. Permite-nos refletir sobre a atemporalidade da mensagem de Jesus nos Evangelhos, mas também nos questiona:

"O que teria acontecido se tivéssemos dado a outra face?" "

HL

Fonte: NYTimes

A entrevista em versão original com o fotógrafo Joel Meyrowitz pode ser vista aqui.

© Info Chrétienne - Reprodução parcial autorizada seguida de um link "Leia mais" para esta página.

APOIE A INFORMAÇÃO CRISTÃ

Info Chrétienne por ser um serviço de imprensa online reconhecido pelo Ministério da Cultura, a sua doação é dedutível no imposto de renda em até 66%.