71 cristãos sequestrados na Nigéria

“Por favor, mobilize outros cristãos dentro de seus círculos de influência para orar pela libertação de nossos irmãos. »

Em 24 de novembro, 71 cristãos foram sequestrados no estado de Edo, na Nigéria, em dois ataques separados. 48 cristãos foram sequestrados a caminho de um casamento de ônibus. Os outros 23 foram sequestrados a caminho de um funeral.

Os cristãos que viajam de ônibus para um casamento foram alvo de pastores Fulani. Quatro cristãos conseguiram escapar. Judith Akande, cujo primo é uma das vítimas, testemunha Notícias da Estrela da Manhã.

“Minha prima foi espancada quase até a morte porque não conseguia andar rápido. Eles a deixaram pensando que ela estava morta. Mais tarde, ela foi ressuscitada e estava vagando no mato até que um homem a encontrou e a levou a um pastor da Igreja Apostólica Cristo. »

Esta prima estava viajando com a filha. Ela ainda está nas mãos dos sequestradores.

“Sua filha está entre outras 43 pessoas que ainda estão sendo mantidas como reféns. Por favor, junte-se a mim em oração pela libertação de seus captores que se acredita serem fazendeiros. »

No mesmo dia, no mesmo estado, 23 trabalhadores da Peace House, um ministério cristão com sede em Gboko, estado de Benue, foram sequestrados. Eles estavam indo para o casamento do filho do presidente da organização.

A polícia conseguiu recuperar 9 cativos no mesmo dia e outros 5 no dia seguinte. Dois funcionários da organização e o motorista do ônibus conseguiram escapar e alertar a polícia.

Segun Ariyo, um parceiro neste ministério, liga para o Morning Star News por SMS.

“Por favor, mobilize outros cristãos dentro de seus círculos de influência para orar pela libertação de nossos irmãos. »

MC

Crédito da imagem: Shutterstock/Jordi C

© Info Chrétienne - Reprodução parcial autorizada seguida de um link "Leia mais" para esta página.

APOIE A INFORMAÇÃO CRISTÃ

Info Chrétienne por ser um serviço de imprensa online reconhecido pelo Ministério da Cultura, a sua doação é dedutível no imposto de renda em até 66%.