51 migrantes morreram em um caminhão no Texas, Papa Francisco denuncia uma tragédia

Mais de 50 imigrantes, do México ou da América Central, morreram em um caminhão superaquecido no Texas, uma tragédia atribuída na terça-feira pelo presidente Joe Biden a "contrabandistas" motivados apenas pela atração do lucro. Papa Francisco denuncia uma tragédia e compartilha sua "dor". 

A terrível descoberta remonta à noite de segunda-feira, quando um funcionário da cidade de San Antonio ouviu um pedido de ajuda perto de uma estrada onde ele estava trabalhando e abriu a porta traseira do caminhão.

Os serviços de emergência retiraram primeiro 46 cadáveres e dezesseis pessoas "conscientes", incluindo quatro menores, que foram transferidos para hospitais próximos. Depois de um dia marcado por temperaturas próximas a 40 graus, eles sofreram de hipertermia e desidratação aguda.

O número de mortos subiu para 51 na terça-feira, 39 homens e 12 mulheres, disseram autoridades locais em entrevista coletiva. Entre os hospitalizados está um adolescente em estado crítico, acrescentaram.

O presidente mexicano Andrés Manuel López Obrador, que será recebido em 12 de julho na Casa Branca, disse que 22 vítimas eram do México, sete da Guatemala e duas de Honduras. “É uma grande desgraça”, observou.

Luta contra “uma indústria criminosa”

Segundo os primeiros elementos da investigação, "esta tragédia foi provocada por passadores ou traficantes" que "exploram" os migrantes "sem respeito pelas suas vidas", comentou o seu homólogo americano em comunicado de imprensa.

Joe Biden pediu o fortalecimento da luta contra "uma indústria criminosa multibilionária" e destacou que 2.400 prisões foram feitas desde o lançamento, há três meses, de uma ação conjunta entre os Estados Unidos e outros países da região.

Não convencidos, os republicanos questionaram sua política de migração.

“Essas mortes são atribuídas a Biden. Eles são o resultado de sua política mortal de fronteiras abertas”, atacou imediatamente o governador republicano do Texas, Greg Abbott.

“Os traficantes de seres humanos exploram nossas fronteiras abertas e os mais vulneráveis ​​pagam com suas vidas”, acrescentou o senador do Texas Ted Cruz.

Desacelerada durante a pandemia, as chegadas de migrantes aumentaram acentuadamente após a eleição de Joe Biden e a cidade de San Antonio, localizada a 240 km da fronteira, é uma importante escala antes de seguir viagem para o norte dos Estados Unidos.

Três prisões 

O prefeito da cidade, Ron Nirenberg, lamentou "uma tragédia horrível" e espera que os responsáveis ​​"sejam processados".

Três pessoas foram presas, segundo o delegado. Mas "não sabemos se eles estão relacionados a isso ou não", disse William McManus.

No local da tragédia, o caminhão havia sido removido na noite de terça-feira e moradores colocaram velas e cruzes de madeira para homenagear as vítimas.

“Eles viajaram centenas de quilômetros para vir aqui, podemos fazer um quilômetro (…) para apoiá-los”, explicou à AFP Angelita Olvera, que instalou este altar improvisado.

Jesus Thompson, 60 anos, que mora nas proximidades, observou que esses migrantes "estavam em busca do sonho americano".

Ao entendê-los, ele pediu aos habitantes da América Central ou do México "que pensem bem antes de deixar seu país, porque há um grande risco de vir para cá, especialmente agora que está muito quente".

Papa Francisco expressou sua "dor"

Caminhões como o encontrado em San Antonio são um meio de transporte frequentemente utilizado por migrantes que desejam entrar nos Estados Unidos. Essa viagem é extremamente perigosa, especialmente porque esses veículos raramente têm ar condicionado e seus ocupantes ficam rapidamente sem água.

Em 14 de junho, guardas de fronteira descobriram cerca de 80 imigrantes escondidos na traseira de um caminhão durante uma inspeção de rotina perto da cidade fronteiriça de Laredo.

Em julho de 2017, uma tragédia semelhante marcou os espíritos: dez migrantes morreram em um trailer superaquecido estacionado no estacionamento de um supermercado perto de San Antonio. O motorista do caminhão foi condenado à prisão perpétua.

O Papa Francisco expressou na terça-feira sua "dor" por esta "tragédia", que ele comparou à do enclave espanhol de Melilla, no Marrocos, onde pelo menos 23 imigrantes morreram na sexta-feira.

A ONU disse que estava "profundamente perturbada". "Ilustra mais uma vez a necessidade crucial de canais legais seguros para a migração", disse uma porta-voz da Alta Comissária para os Direitos Humanos, Ravina Shamdasani, de Genebra.

O Conselho Editorial (com AFP)

Crédito de imagem: Shutterstock.com / Mike Hardiman / Migrantes da América Central cruzam a fronteira EUA-México para buscar asilo nos Estados Unidos, 30 de maio de 2019

© Info Chrétienne - Reprodução parcial autorizada seguida de um link "Leia mais" para esta página.

APOIE A INFORMAÇÃO CRISTÃ

Info Chrétienne por ser um serviço de imprensa online reconhecido pelo Ministério da Cultura, a sua doação é dedutível no imposto de renda em até 66%.