46 cristãos e seus filhos sequestrados na Nigéria

“Os pastores terroristas invadiram nossa aldeia, Agunu Dutse, enquanto os aldeões cristãos dormiam. Por favor, ore por esses cristãos que estão presos em um local desconhecido neste momento. »

Por volta da 17h da quinta-feira, 1 de março, a vila predominantemente cristã de Agunu Dutse, no estado de Kaduna, foi atacada. Os agressores, que se acredita serem pastores Fulani, disseram fontes do Morning Star News, sequestraram 46 cristãos, juntamente com vários de seus filhos.

Rahila John Nuhu vive na área. Ela entrou em contato Notícias da Estrela da Manhã por mensagem de texto.

“Os pastores terroristas invadiram nossa aldeia, Agunu Dutse, enquanto os aldeões cristãos dormiam. Por favor, ore por esses cristãos que estão presos em um local desconhecido neste momento. »

Outra testemunha, Philip John, explica que os agressores dispararam "indiscriminadamente, à vista". Segundo Luke Godwin Waziri, que também mora em Agunu Dutse, o ataque durou duas horas. “Por favor, ore conosco, especialmente neste momento difícil”, ele implora.

O senador nigeriano Shehu Sani lamenta que a proximidade desta aldeia com um quartel não tenha protegido os aldeões.

“O sequestro de 47 pessoas nas primeiras horas de hoje por terroristas da vila de Agunu Dutse em Kachia LG, no sul de Kaduna, é mais uma tragédia. É lamentável e vergonhoso que a proximidade da comunidade ao quartel não pudesse proteger os indefesos. »

Em seu último relatório, oEXCIRF, a Comissão dos EUA para a Liberdade Religiosa Internacional, já deplorou o fato de que os cristãos foram deliberadamente alvo de ataques e sequestros. A organização denunciou o governo nigeriano, que "falha sistematicamente em investigar esses ataques e processar os responsáveis".

Após o ataque, temendo ser sequestrado pelos assaltantes, sobreviventes fugiram de sua aldeia.

MC

© Info Chrétienne - Reprodução parcial autorizada seguida de um link "Leia mais" para esta página.

APOIE A INFORMAÇÃO CRISTÃ

Info Chrétienne por ser um serviço de imprensa online reconhecido pelo Ministério da Cultura, a sua doação é dedutível no imposto de renda em até 66%.